Pesquisa da Prefeitura mostra potencial econômico dos bairros de Corumbá

Realizada pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio, a Pesquisa do Perfil dos Bairros de Corumbá foi executada com o objetivo de subsidiar, com informações estratégicas e precisas, aos empresários que já estão instalados ou que pretendem abrir suas empresas no município.

 

O estudo mostra que a maior parte da população corumbaense está concentrada na região Central, onde vivem atualmente 18,4 mil habitantes, segundo dados do último IBGE. O Cristo Redentor é o bairro mais populoso. Lá residem 10,1 mil pessoas. Nova Corumbá, com 7,9 mil, a Popular Velha, com 6,9 mil, e o Aeroporto, com 5,5 mil habitantes, são os outros bairros com maior concentração de moradores da cidade.

 

Jardim dos Estados (4,7 mil), Centro América (4,4 mil), Dom Bosco (4,2 mil), Universitário (4,1 mil) e Maria Leite (4 mil) completam o Top 10 do estudo populacional. Essas localidades representam 68,12% de toda a população corumbaense, sendo a maioria dos bairros localizados na parte alta de Corumbá.

 

A Pesquisa também mostra que a maioria da população residente no Centro (50,9%) é adulta. Já o bairro com maior quantidade de crianças, proporcionalmente, é o Cristo Redentor, com 26% do total de habitantes. A Cervejaria, com 23,5%, aparece na sequência. E a região com a maior quantidade de idosos é o Arthur Marinho (35%). No Nossa Senhora de Fátima, os idosos representam 32,5% dos moradores do bairro. Em números absolutos, Centro, Cristo e Nova Corumbá são os que reúnem maior quantidade de idosos.

 

“A definição do público alvo é o ponto inicial para o planejamento de um novo negócio, seja ele um pequeno, médio ou grande empreendimento comercial”, afirmou o secretário de Indústria e Comércio de Corumbá, Pedro Paulo Marinho de Barros, que ainda explicou a necessidade de identificar mais profundamente as características da população de onde se pretende investir.

 

“Para identificar a quem você quer vender o seu produto ou serviço, não basta descrever as características de sua clientela. É preciso também identificar em que fase do ciclo de vida encontra-se, pois clientes de mesma idade e classe social podem estar em estágios de vidas diferentes, ou seja, um cliente com 30 anos pode ser casado e com filhos e outro com a mesma idade pode estar em busca de uma namorada. As decisões de compras serão diferentes em cada situação, mesmo participando do mesmo grupo etário e classe social”, completou.

 

De acordo com o economista Raul Assef Castelão, a tendência populacional é outro importante também, uma vez que não basta analisar a situação atual, mas verificar os índices de crescimento e as expectativas gerais. “Os investimentos precisam considerar estes aspectos. O ideal é sempre pesquisar e perguntar para os potencias clientes para descobrir suas necessidades e desejos e quanto está disposto a investir em seu produto e serviço, com isso a possibilidade de errar será muito menor”.

 

Deste modo, a pesquisa produzida pela Prefeitura fornece informações sobre o perfil dos potenciais clientes estratificadas por bairro. “Além do uso para definição do público-alvo, estes dados podem ser usados para o que o mercado conhece como marketing direcionado. Por exemplo, se uma empresa com produtos para a terceira idade, que, diga-se de passagem, é um nicho promissor da nossa economia, e que tem 30% da população urbana em Corumbá, poderá direcionar campanhas promocionais para os bairros Centro, Cristo Redentor e Nova Corumbá, regiões com maior densidade deste público”, finalizou Raul.