Oficina coloca em discussão programas da Saúde visando melhoria em atendimento

O município de Corumbá foi o escolhido para abrir o ciclo de oficinas que colocam em debate dois programas fundamentais para o setor da Saúde em Mato Grosso do Sul: o Provab (Programa de Valorização da Atenção Básica) e o Programa Mais Médicos.

 

O evento foi aberto na manhã desta quarta-feira, 23 de julho, em uma das salas de reuniões da unidade do SESC Corumbá, no Porto Geral. Além do município pantaneiro, as oficinas acontecerão nas macrorregiões de Campo Grande e Dourados, bem como na microrregião de Paranaíba.

 

Com 25 médicos contratados dentro dos parâmetros do Programa Mais Médicos, Corumbá é o município sul-mato-grossense com mais profissionais atraídos pela ação federal que visa ampliar o acesso à Saúde com a contratação de médicos brasileiros ou estrangeiros, principalmente, nas cidades do interior.

 

“Para mim é um orgulho saber que Corumbá é referência dentro do programa federal. Temos indicadores que mostram que a atitude de trazer esses profissionais para cá foi correta. São nas pessoas que não possuem um plano de saúde e dependem do SUS é que temos que pensar, que moram nos bairros periféricos e que querem ser atendidos nas unidades de saúde”, disse o prefeito de Corumbá, Paulo Duarte, durante a abertura da oficina.

 

Ele ressaltou a união dos esforços para os resultados cada vez mais positivos com relação às ações de Saúde, seja ela entre entes Executivos de esferas diferentes ou mesmo entre pessoas de distintos locais, como foi o caso do Mais Médicos, que atraiu profissionais de outros estados e países.

 

“É um trabalho, um projeto, uma ação que tem os três entes (Federação, Estado e Município) trabalhando conjuntamente. É uma realidade que precisamos dos médicos que estão há muito tempo aqui como também dos novos. Não podemos ficar com sectarismo. Corumbá é uma mistura de povos, é uma troca, precisamos aprender com as pessoas que vem aqui. Será que a gente não pode ser um pouquinho mais solidários e pensar nas pessoas que não tem plano de saúde e dependem do SUS? Que país no mundo tem um sistema como o nosso que atende todas as pessoas independente de raça e cor?”, questionou Duarte ao afastar qualquer polêmica política sobre a implantação dos programas.

 

A secretária de Saúde de Corumbá, Dinaci Ranzi, que assumiu a coordenação do Programa Mais Médicos em Mato Grosso do Sul, fez um prospecto positivo nesse menos de um ano de implantação do programa federal.

 

Esse é o início de um sonho que temos desde janeiro quando o prefeito nos convidou para assumir a secretaria de Saúde: discutir a atenção básica. O Programa Mais Médico nos possibilitou isso e, nesse ano, irá nos proporcionar uma discussão mais ampla da atenção básica, que é para qualificar”, disse ao citar o caso da Unidade Básica de Saúde do bairro Aeroporto.

 

“O mineiro Leonardo Fabrício Gomes Soares foi um dos primeiros médicos a chegar a Corumbá e pegou uma de nossas unidades mais problemáticas. Ele transformou toda a população da região e assim vem acontecendo em todas as partes da cidade”, afirmou a secretária que rebateu críticas sobre os profissionais estrangeiros. “A mesma doença de Cuba é a que atinge o Brasil, é claro que temos as endêmicas, mas a base é a mesma. Hoje, o recanto mais longe desse país tem um médico, esse profissional extremamente importante”, avaliou.

 

André Luiz da Silva, representante do Ministério da Saúde, que acompanha as oficinas no Estado, destacou que as oficinas estão pautadas nas reflexões sobre as ações implantadas de forma a construir compartilhadamente estratégias para a aplicação em situações práticas.

 

“Para vocês que vieram de outro país, de outro estado, muito obrigado, estamos fazendo isso pela população. Qualquer questão que tenhamos divergente que possamos discutir enquanto um grupo que está lutando pelo sistema público de qualidade”, resumiu o representante.

 

O calendário de oficinas segue no dia 25, em Campo Grande; 13 de agosto, em Paranaíba; e 15 de agosto, Dourados.