Moradores de Corumbá comemoram benfeitorias: um sonho realizado

O início das obras de pavimentação em lajotas sextavadas de 32 alamedas de Corumbá está sendo comemorada como “um sonho realizado” pelos moradores das regiões atendidas. Os serviços começaram pelas alamedas Carneiro, no Bairro Aeroporto, e Catarina A. Cunha, no Dom Bosco, e chamaram a atenção dos moradores destas duas localidades, alguns até mesmo incrédulos com a movimentação de máquinas e homens trabalhando.

 

Foi assim logo nas primeiras horas da manhã na Alameda Carneiro. A intensa movimentação chamou a atenção dos moradores, principalmente de Odenil da Silva Rosa, morador na casa 7, um dos mais antigos moradores da via: 45 anos. “Mudei para cá quando ainda era uma chácara. Sou um dos primeiros moradores daqui, era um sertão danado. Agora mudou bastante e vai melhorar mais ainda com esta pavimentação”, comentou.

 

O morador revelou que residir no local era um sacrifício. “Quando chovia não dava nem pra sair de casa, muito barro. Na seca, a poeira. Agora, vai dar pra sair mais tranquilo. Era muito complicado”, destacou, lembrando os 38 anos de luta para os moradores ter uma rua em melhores condições de transitar.

 

Moradora na casa da frente, de número 6, Ednalva Angélico da Silva Rosa disse que só tem motivos para comemorar agora. “Praticamente é um sonho que se realiza. Moro aqui desde que nasci e sempre foi sofrimento”, revelou. “Quando chovia era barro. Não dava pra sair sem escorregar e correr risco de cair. Durante a seca, poeira. Era ruim de qualquer jeito. Agora, com o lajotamento, vai resolver nosso problema, se Deus quiser”, completou.

 

Sua prima, Josiane Angélica da Silva Rosa Castelo nasceu na alameda. Hoje mora em Campo Grande. Ela fez questão de completar o pensamento de Ednalva afirmando que “só de chegar aqui e ver que estão pavimentando a nossa alameda, faz a gente acreditar que Corumbá vai mudar, está mudando. Isto me deixa muito feliz”.

 

“Sofremos muito aqui, lama, poeira… Agora está saindo aquilo que a gente sempre desejou, a pavimentação da nossa alameda. Vai ficar bem melhor aqui”, completou Antônio Duarte, morador na casa 1.

 

Catarina

 

Outra alameda em obras é a Catarina A. Cunha, no Dom Bosco. O prefeito também visitou o local e conversou bastante com os moradores. A benfeitoria era uma antiga reivindicação da comunidade local. O principal problema, conforme dona Newlinda Daltro, é o “barro quando chove”. Ao lado do marido, Epaminondas, ela conversou bastante com o prefeito Paulo Duarte e, a exemplo da comunidade da Alameda Carneiro, agradeceu a benfeitoria.

 

Com 46 anos morando no local, Newlinda disse que sempre esperava pela melhoria da sua alameda. “O nosso problema maior era a lama durante as chuvas. Poeira nem tanto, aqui passa pouco carro. Mas, quando chovia, era muito difícil. Agora vai melhorar”, afirmou.

 

Clarice da Silva Aquino, moradora na mesma alameda já há 40 anos, concorda com Newlinda e foi além: “em época de chuva, nossa rua se transformava em um brejo. Agora vai melhorar 100%. Estamos felizes. Até esquecemos a derrota do Brasil ontem”, resumiu, apontando para a casa ao lado, residência da sua mãe, dona Maria da Glória Soares da Silva, de 103 anos, uma das moradoras mais antigas da região.