Brasil e Bolívia voltam a se reunir com foco em problemáticas de fronteira

Dando continuidade ao ciclo de debates alinhado entre os Governos do Brasil e da Bolívia, mais um encontro foi realizado nesta quinta-feira, 24 de julho, dentro da programação das Reuniões Binacionais para Soluções de Problemas Fronteiriços.

 

Neste terceiro encontro, dois temas dominam as discussões: transporte e trânsito e furto e roubo de veículos. Autoridades civis, militares e representantes da sociedade civil organizada estão reunidos no Hotel Nacional, em Corumbá, onde são detalhadas as situações instaladas e as propostas trazidas ou a serem elaboradas para cada um dos pontos apresentados.

 

Márcio Cavasana, secretário de Governo de Corumbá, está coordenando excepcionalmente os trabalhos em substituição da vice-prefeita, Márcia Rolon, e abriu a reunião lembrando que os encontros surgiram a partir de uma conversa entre o prefeito de Corumbá, Paulo Duarte, e o presidente da Bolívia, Evo Morales, no início deste ano.

 

“Por ser o maior município e com a maior estrutura, Corumbá acaba atendendo os demais municípios da região como mediadora. Todas as reuniões têm a participação da sociedade civil, ou com pré-consultas ou mesmo no dia para que também não tome uma decisão bilateral exclusivamente governamental”, observou o secretário que avaliou como positiva as contínuas discussões.

 

“Todos os resultados dessas reuniões são encaminhadas para as duas esferas federais, mas iniciativas que são de responsabilidade do município são tomadas de forma imediata. Está havendo um grande avanço com relação às discussões e às resoluções das problemáticas em comum da nossa região”, afirmou.

 

Pelo lado boliviano, o coronel Victor Tortoya Echeverria, chefe da Unidade de Segurança em Fronteira da ADEMAF (Agência para o Desenvolvimento das Macrorregiões e Zonas Fronteiriças), observou a importância de se colocar em discussão a atualização de importante lei para a região.

 

“Com o Tratado de Roboré, em 1958, já havia uma intenção de buscar o desenvolvimento da fronteira, de mantermos boas relações porque os moradores dessas regiões tem problemas comuns. Em minha opinião deveríamos atualizar o Tratado de Roboré e permitir que esses temas sejam discutidos de forma ampla e que possibilite a convivência harmoniosa dos povos”, disse ao ser questionado sobre a prática do transporte de passageiros na área fronteiriça.

 

Aliás, esse foi o primeiro subtema abordado do qual as autoridades brasileiras mostraram a necessidade de cumprimento das leis implantadas em solo nacional, sendo a mais importante de todas, registrada no Código Brasileiro de Trânsito.

 

Os subtemas a serem abordados dentro da temática transporte e trânsito são: Transporte Internacional de estudantes; Entrada e saída de vans, ônibus e táxis pela fronteira; Transporte clandestino de passageiros; Campanhas educativas entre cidades fronteiriças para informações de leis vigentes; e demandas trazidas por representantes bolivianos.

 

Na parte da tarde, o debate se propõe a responder uma única questão, porém que há muito domina as discussões de quem vive na fronteira: “Como fazer para diminuir o índice de furto e roubo de veículos nessa região fronteiriça?”.

 

O primeiro encontro das Reuniões Binacionais para Soluções de Problemas Fronteiriços aconteceu, em Puerto Quijarro, no mês de maio, com o tema “Imigração”. Em junho, o encontro veio para Corumbá, onde voltou a ser realizado desta vez.