Pesquisa aponta crescimento na geração de novos postos de trabalho na cidade

Em Corumbá a criação de novos postos de trabalho nos cinco primeiros meses deste ano, superou em 100% o resultado do mesmo período em 2013. É o que aponta pesquisa realizada pelo Observatório do Mercado de Trabalho da Prefeitura, divulgada na manhã dessa quinta-feira, 26, pela Secretaria de Indústria e Comércio. A expectativa é que, em junho, o crescimento seja maior ainda, diante do aquecimento no setor da construção civil, com início das obras de 1040 unidades habitacionais que a Prefeitura está construindo na parte alta da cidade.

 

Apesar desse crescimento, o mercado de trabalho local apresentou um volume de contratação em maio, menor que o mês de abril. Segundo o economista Raul Asseff Castelão, gerente de Fomento e Produção Industrial da secretaria, mesmo com a queda, o mercado de trabalho na cidade de Corumbá, a médio e longo prazo, tem apresentado bons resultados, com a geração de 535 novos postos de trabalho ao longo de 12 meses.

 

Outro ponto destacado é a evolução do saldo de emprego nos últimos cinco anos. Pela pesquisa, os setores de serviços e comércio, neste período, apresentaram os melhores desempenhos, com média de 37% e 14% respectivamente.   

 

“Convém destacar que os dois setores juntos representam 47% do número de empregados ativos, levando-se em consideração o ano base de 2012, que são os dados mais recentes, conforme a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS)”, explicou o economista.

 

Os destaques em relação à ocupação com maiores admissões em maio foram vendedores e demonstradores, 53; condutores de veículos e operadores de equipamentos de elevação e de movimentação, 46; trabalhadores dos serviços de hotelaria e alimentação, 37; trabalhadores nos serviços de administração, conservação e manutenção de edifícios, 36; trabalhadores na pecuária, 35; escriturários em geral, agentes, assistentes e auxiliares administrativos, 32 trabalhadores admitidos.

 

Vendedores e demonstradores também estão no topo da lista nas demissões, com 43, seguido de trabalhadores na pecuária, 42; trabalhadores dos serviços de hotelaria e alimentação, 37; condutores de veículos e operadores de equipamentos de elevação e de movimentação de cargas, 35; trabalhadores nos serviços de administração, conservação e manutenção de edifícios e logradouros,  29.

 

Em maio de 2014, Corumbá registrou um total de 470 admissões e  466 demissões . O setor de serviços foi o que teve maior número de admissões e o de comércio o que mais demitiu. Os números por setores foram: extrativista mineral com duas admissões e 16 demissões; indústria de transformação com 34 admissões e 63 demissões; serviços de utilidade pública com 13 admissões e sete demissões; construção civil com 13 admissões e oito demissões; comércio com 151 admissões e 167 demissões; serviços com 181 admissões e 116 demissões; agropecuária com 76 admissões e 87 demissões, totalizando 470 admissões, 466 demissões, saldo de quatro.

 

Os setores de serviços, comércio, agropecuária e indústria de transformação se destacaram por terem sido os responsáveis pelo maior número de contratações. Já extrativa mineral, serviços de utilidade pública e construção civil, foram os que menos contrataram em maio.   

 

“Comércio, serviços e agropecuária, apesar de terem um elevado número de contratações, também aparecem como responsáveis por mais de 98,24% das demissões no mês de maio”, explicou Assef.

 

A pesquisa aponta também que, em 2014, foram admitidas 3.173 pessoas com carteira assinada e 2.757 pessoas foram demitidas, gerando um saldo de 416 novos postos de trabalho no Município.

 

No período, o setor da extrativa mineral admitiu 121 pessoas e demitiu 111; a indústria da transformação admitiu 473 e demitiu 400; serviços de utilidade pública admitiu 57 e demitiu 40; construção civil admitiu 129 e demitiu 118; comércio admitiu 801 e demitiu 806; serviços admitiu 1.069 e demitiu 758, e agropecuária admitiu 523 e demitiu 524, totalizando 3.173 admissões e 2.757 demissões, saldo de 416 postos.