Lideres comunitárias são parceiras nas ações de combate à dengue na cidade

O projeto Mulheres contra Dengue capacitou na tarde dessa quarta-feira, 25, 30 lideres comunitárias de diferentes bairros da cidade.  O trabalho, realizado na sede da Escola de Governo de Corumbá, teve o objetivo de intensificar ainda mais as ações de combate à dengue na cidade.

 

Idealizada pela Secretaria de Assistência Social e Cidadania, por meio da Gerência de Políticas para a Mulher, em parceria com a Secretaria de Saúde, a proposta da capacitação foi mobilizar multiplicadores para combater de forma efetiva não somente a dengue, mas também outras doenças que são provenientes de lixo acumulado em casas e terrenos baldios, como a leishmaniose.

 

Durante o encontro, a secretária de Saúde, Dinaci Ranzi, avaliou a proposta como positiva. “Essas mulheres são as nossas multiplicadoras, elas que vão fazer o convencimento na amizade entre os vizinhos e amigos”, comentou. “Vamos atingir o maior numero de pessoas, porque a dengue não para, não tem fim e a gente precisa estar todo dia atenta para combater”, completou.

 

A gerente de Políticas para a Mulher, Cristiane Santana, explicou que o encontro foi um pedido do prefeito Paulo Duarte. “Essa é a nossa primeira capacitação feminina dentro do projeto Mulheres contra a Dengue, uma visão do nosso prefeito, com o objetivo de proporcionar essa escuta com a comunidade, levando a população a ficar mais atenta com o que acontece dentro de casa”, destacou.

 

A capacitação ainda contou com uma dinâmica realizada pela pedagoga do CRAM, Luene Garcia. “A responsabilidade é nossa e precisamos abraçar a causa com doçura e comprometimento”, aconselhou Luene a todas as mulheres participantes do projeto.

 

Agente Multiplicador

 

Para a dona de casa Maria Luiza, líder do bairro Aeroporto e assistida pelo CRAM, o trabalho é precioso e recompensador. “Eu corro atrás e tenho um exército de mulheres comigo, que fazem questão de serem agentes multiplicadoras, alertando e conscientizando a comunidade onde vivem”, enfatizou.

 

Participaram mulheres que integram as ações desenvolvidas pelos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), Centro de Referência e Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CRAM), Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Gerência de Políticas para a Mulher, além de representantes do Distrito de Albuquerque e assentamento Gabriel.