Prefeitura e Sebrae realizam reunião de Valorização da Cultura Pantaneira

A Prefeitura de Corumbá, por meio da Fundação de Cultura, em parceira com o Sebrae/MS realizaram na manhã dessa quinta-feira, 08 de maio, um encontro com os nove municípios pantaneiros para promover a valorização da cultura pantaneira.

O objetivo desse projeto é reunir todas as ações já realizadas por diferentes setores e fazê-las funcionar de forma sistêmica, iniciando um processo concreto de identificação do território como Estado Pantaneiro.

 

Para realizar esse trabalho, o Sebrae/MS formou uma comissão que é liderada pelo vice-presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae, Luiz Cláudio Fornari, o vice-presidente regional oeste da Fiems, Lourival Vieira Costa, pelo Superintende de Ciência e Tecnologia do Fundect, Felipe Augusto Dias, pela vice-prefeita e diretora-presidente da Fundação de Cultura, Márcia Rolon,  e representantes da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), da Fecomercio e da Famusul.

De acordo com Márcia Rocha, que faz parte do Conselho deliberativo do Sebrae, essa reunião que está acontecendo em Corumbá é só a primeira com a presença do municípios fora da Capital. “Já tivemos em Campo Grande a primeira oficina, onde com a ajuda dos representantes dos municípios identificamos os elementos mais conhecidos nessa cultura pantaneira”, explicou.

“Agora nesse segundo encontro viemos montar uma ação para definir o que será colocado na cultura pantaneira como patrimônio do Mato Grosso do Sul”, explicou Márcia Rocha, destacando a importância dos nove municípios se conhecerem e saberem o que é cultural um no outro.

Para Lourival Vieira Costa, conselheiro do Sebrae pela Fiems, o projeto “Valorização da Rota Pantaneira” é a realização de um sonho antigo. “Logo quando o Paulo Duarte assumiu o governo, Luiz Fornari veio novamente a Corumbá e juntos fomos falar com ele, que prontamente colocou a Prefeitura como parceira”, contou.

“O prefeito incentivou a começarmos a tocar o projeto porque a frente da Cultura do nosso município teríamos a Márcia (Rolon), que certamente abraçaria esse trabalho de valorização da nossa cultura”, complementou Lourival, lembrando que a região tem uma cultura fortíssima.

“No Brasil hoje temos oito ou nove indicadores geográficos e aqui no Estado não temos nenhum, por isso queremos estudar os 10 produtos que já tem um destaque para saber qual merece evidência e, quem sabe, pontuar as cidades com um indicador geográfico”, disse entusiasmado o pesquisador Felipe Augusto Dias, Superintende de Ciência e Tecnologia do Fundect (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul).

Márcia Rolon, vice-prefeita e diretora-presidente da Fundação de Cultura de Corumbá, reforçou a vocação turística da região. “Além dessas reuniões, em paralelo, estou em conversa com a Agência de Macro Regiões, onde vimos que os viajantes que chegam a Corumbá passam por aqui e muitas vezes vão parar outros países andinos”, afirmou.

“Por isso juntamente com essa valorização da cultura, podemos acrescentar que as pessoas que chegam aqui podem ainda seguir por mais cinco rotas, mostrando assim o Mato Grosso do Sul no caminho de vários outros destinos turísticos”, pontuou.

A Comissão Temática de Valorização da Cultura Pantaneira conta com os municípios de Aquidauana, Bodoquena, Corumbá, Coxim, Ladário, Miranda, Porto Murtinho, Rio Verde e Sonora, escolhidos por possuírem parte do Pantanal em seus territórios.  

Nessa sexta, os representantes culturais ainda fizeram um passeio a bordo do Navegante Akaia, que também proporcionou um verdadeiro almoço pantaneiro ao mesmo tempo em que os integrantes puderam observar como o Pantanal se mistura com a parte urbana nos municípios de Corumbá e Ladário. No período da tarde foi feito uma avaliação do processo para ver até onde chegaram e quais serão os próximos passos.