Novos residenciais vão realizar sonho da casa própria para 1.040 famílias

Concluídos, os dois residenciais, Flamboyant e Buriti, lançados na noite da quinta-feira, 22, pelo prefeito Paulo Duarte, vão realizar o sonho da casa própria de 1.040 famílias de baixa renda residentes em Corumbá. Estes são os dois primeiros conjuntos habitacionais lançado pelo Chefe do Executivo que já projeta novos empreendimentos não só para famílias com renda de até R$ 1,6 mil, mas também para aquelas com  faixa acima de três salários.

 

O Residencial Flamboyant será construído no Bairro Guató, com um total de 840 unidades distribuídas em três quadras. Serão 280 em cada uma. Já o Residencial Buriti será edificado no Jardim dos Estados e contará com 200 unidades. Os novos conjuntos serão dotados de infraestrutura necessária como drenagem e asfalto; redes de água, luz, esgoto e telefonia, além de escolas, creches, unidades de saúde, CRAS, praças de lazer e áreas verde.

 

Apesar da intensa chuva de ontem a noite em Corumbá, as famílias lotaram o Centro Popular de Cultura, Esporte e Lazer Nação Guató, para acompanhar o lançamento. A dona de casa Rosimere Xavier, moradora do bairro Popular Nova, afirmou que o programa “Meu doce Lar” representa a possibilidade de realizar um sonho. “Eu sempre paguei aluguel a minha vida toda. Quando soube do programa, criei uma expectativa muito grande em poder viver, logo, tudo que sempre sonhei para minha família: ter a minha casa própria”, celebrou.

 

O evento não atraiu apenas moradores da área urbana de Corumbá. Teve gente que mora longe que também veio para conhecer detalhes do programa. Uma dessas pessoas foi Vera Lucia Batista, de 49 anos,

moradora no Assentamento São Gabriel. Ele aguardou com ansiedade o início da solenidade. “Eu chego estar nervosa de tanta emoção”, contou a dona de casa, que vive há 10 anos no assentamento. “Eu não tenho casa, mas acredito que o meu sonho começa a se realizar nesta noite, graças ao empenho do prefeito Paulo Duarte em nos ajudar”, completou.

 

Garantindo mais dignidade para a população corumbaense, o programa “Meu doce Lar” é uma oportunidade de mudar de vida. “Eu pago R$ 400 de aluguel por mês, tenho uma filha que sofre de bronquite crônica e necessita de muitos cuidados. Com isso, meu gasto já é muito grande com ela. Como já tenho essa despesa fixa com moradia, não me sobra quase nada pra viver”, compartilhou a auxiliar de serviços gerais, Maria Aparecida dos Santos.

 

“Tudo que mais desejo nesse momento é melhorar de vida. E sonhar com o dia de não precisar gastar tanto para morar, e assim, sobrar mais para comer e viver”, declarou, acrescentando ter muita fé no programa. “Eu confio no programa e creio que a minha hora vai chegar”, concluiu.

 

Cadastro

 

No segundo semestre a Prefeitura vai iniciar um novo cadastro da casa própria com atualização do já existente hoje, já com vista aos dois novos residenciais e aos que serão implantados no futuro.

 

As famílias deverão atender critérios estabelecidos pelos programas habitacionais do Governo Federal, tais como residir em área de risco, insalubre ou que tenham sido desabrigadas; famílias com mulheres responsáveis pela unidade familiar; famílias de que façam parte pessoas com deficiência. Isto está disposto na portaria do Governo Federal nº 610, de 26 de dezembro de 2011, sobre os parâmetros de priorização e o processo de seleção dos beneficiários do Programa Minha Casa, Minha Vida.

 

Deverão também atender aos critérios do Município: famílias que habitam no local ou no entorno do empreendimento, quando se tratar de projetos de remanejamento/reassentamento; famílias com menor renda per capita (renda familiar mensal até R$ 1,6 mil); famílias com maior número de dependentes menores de idade, conforme o que estabeleceu o decreto nº 1.125, de 23 de janeiro de 2013.

 

O prefeito lembrou durante o lançamento do programa ontem que o Município vai reservar no mínimo 3% das unidades habitacionais para atendimento aos idosos, conforme disposto no inciso I do artigo 38 da Lei nº. 10.741/2003.