Maria Gadú trouxe sucessos atuais e clássicos do rock nacional para o FAS

Faltou Shimbalaiê, mas sobrou sucessos atuais e clássicos da MPB e do pop rock nacional. Assim foi o show de Maria Gadú na penúltima noite do Festival América do Sul. A cantora paulistana trouxe para Corumbá músicas dos seus primeiros álbuns, “Maria Gadú” e “Mais Uma Página”, além de hits que influenciaram gerações inteiras.

Cazuza, Legião Urbana e Cássia Eller foram alguns dos artistas lembrados por Gadú durante sua apresentação. Paulinho Moska e Dani Black, que havia se apresentado no mesmo palco horas antes, fizeram participações especiais e ajudaram a deixar a noite ainda mais inesquecível para as milhares de pessoas que lotaram a praça Generoso ponce. 

O músico e cantor argentino Lisandro Aristimuño, reconhecido por seu estilo que mistura influências do rock e pop, além de música eletrônica com gêneros tradicionais como o folclore, e a banda Waiwanna, que trouxe uma mescla de grandes nomes da música dos anos de 1980, foram as outras atrações da noite. 

Para este último dia de Festival América do Sul, o Palco das Américas reserva o carisma do grupo sul-mato-grossense Forrózen, banda que celebra influências de artistas como Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Zé Ramalho entre tantos outros nomes da música tipicamente nordestina do país, e a força do Afroreggae. 

Fruto das oficinas de música e dança do AfroReggae, o grupo propõe uma nova pegada musical para interferir na cena da música brasileira. A inspiração para as composições próprias e demais escolhas do repertório sofrem influências do Reggae, Disco, Soul, Miami Bass e Rap, que conferem ao grupo a personalidade de uma banda de reggae com influências do samba, rock e funk.