FAS atrai turista e movimenta mais de R$ 2 milhões em Corumbá e região

Mais de dois milhões de reais foram injetados na economia de Corumbá durante o período de realização da décima primeira edição do Festival América do Sul (FAS), entre os dias 30 de abril e 04 de maio.

 

Além da movimentação financeira, a pesquisa aplicada pela Fundação de Turismo do Pantanal, através do Observatório do Turismo, contabilizou o fluxo de visitantes na cidade. Segundos os dados levantados, 4.600 pessoas estiveram em Corumbá durante os cinco dias de evento cultural.

 

“Estamos bastante contentes, recebemos um fluxo que já projetávamos em torno de 3 a 5 mil turistas, tínhamos essa percepção que se confirmou”, disse a diretora-presidente da Fundação de Turismo, Hélènemarie Dias Fernandes.

 

A maioria dos visitados é do próprio Mato Grosso do Sul com mais de 68%. Campo Grande foi responsável por pouco mais da metade desse montante, 50,7%. Em segundo lugar, apareceu o estado de São Paulo destinando 9,30% dos visitantes e Brasília, na sequência, com a terceira posição e 5,7%.

 

“De acordo com as estratégias promocionais e com a política nacional, estamos trabalhando as proximidades para atrair o visitante. Ao promover Corumbá dentro da região Centro-Oeste já podemos perceber na pesquisa a presença de Brasília. Isso é uma característica de todo o país, os maiores indutores são do próprio estado e da região pela proximidade”, explicou Hélènemarie.

 

Ela observou que a posição geográfica do município confere uma característica particular que permite expandir o conceito regional e atrair mais turistas.

 

“Para o ano que vem, no segundo semestre, iremos iniciar uma promoção de Corumbá aproveitando dessa proximidade que temos da América do Sul porque somos um portal de entrada internacional para o país”, lembrou.

 

Economia

 

Com a atração de grande fluxo de turistas, o evento também proporcionou uma movimentação financeira bastante considerada para o período. No total, entre moradores e visitantes, estimou-se a injeção de R$ 2.067.087, 53.

 

O que chama atenção é justamente a equiparação de gastos entre o público local e o de visitantes. Os turistas gastaram, em Corumbá, R$ 903.744,64, enquanto os residentes injetaram R$ 778.942,38. O valor total se complementa com as compras feitas na Bolívia, o que representa um grande atrativo para quem visita Corumbá. Foram 309.094,03 deixados no país vizinho pelos turistas, já os residentes investiram somente R$ 75.306,48.

 

“Vale destacar que o corumbaense é um grande consumidor dos seus eventos, tradições populares e festas. Além disso, as compras na Bolívia para os visitantes têm grande peso”, comentou.

 

Tranquilidade

 

Apesar de movimentar grande fluxo de pessoas, a avaliação do visitante sobre a segurança no Festival América do Sul foi positiva. Segundo os dados do Observatório do Turismo, 65% dos turistas avaliaram a segurança como “boa e muito boa”.

 

Isso pode ser constatado ainda pela ausência de ocorrências policiais no circuito do evento e também pela grande quantidade de pessoas circulando e consumindo nesses espaços.

 

O setor que mais se destacou foi o de alimentação, cujos gastos do público local, superaram o meio milhão de reais, resultando em R$ 550.913,17, bem à frente dos visitantes, que contabilizaram R$ 343.989,90.

 

“As pessoas estão muito seguras em estar na rua, comer na rua. E isso não é apenas pela qualidade, pela higiene, mas pelo fato de saber estarem se sentindo bem para ir à rua sem receio de que algo ruim aconteça”, disse a diretora-presidente.

 

“Saímos satisfeitos por ter uma base legal sobre o que é o Festival América do Sul para Corumbá, para o cidadão e para o empresário da cidade. A partir desses números, desses dados, estamos cada vez mais fortalecidos para focar os investimentos públicos e as nossas estratégias para a implementação das políticas públicas”, concluiu.

 

A pesquisa deverá ser aplicada também durante os festejos do Arraial do Banho de São João, em junho, e na realização do II Pantanal Extremo: Jogos de Aventura, em novembro.