Cheia: famílias do São Lourenço recebem ação emergencial esta semana

Famílias ribeirinhas residentes na região da barra do São Lourenço, no alto Pantanal, serão atendidas esta semana com uma ação emergencial do programa Povo das Águas. Os trabalhos serão desenvolvidos pela Prefeitura de Corumbá e Marinha do Brasil, por meio de uma parceria oficializada na tarde dessa segunda-feira, 05, durante reunião com as presenças do prefeito Paulo Duarte, do contra-almirante Edervaldo Teixeira de Abreu Filho, comandante do 6º Distrito Naval, além de outras autoridades.

 

O prefeito informou que a primeira edição do Povo das Águas de 2014 está programada para o final de maio. No entanto, diante da cheia que afeta 34 famílias ribeirinhas na região do São Lourenço, na barra com o Rio Paraguai, a Prefeitura solicitou apoio da Marinha do Brasil que, de imediato, colocou sua estrutura à disposição do Município.

 

“Estamos com duas operações neste mês de maio, a Platina e a Ágata. Em virtude disso, estamos podendo disponibilizar apenas uma embarcação. Caso contrário, enviaríamos duas para realizar este trabalho de atendimento aos ribeirinhos junto com a Prefeitura”, revelou o contra-almirante, lamentando apenas não ter conseguido junto à Receita Federal, doação de produtos apreendidos que poderiam ser distribuídos às famílias, devido ao fato do ano ser eleitoral.

 

O prefeito ressaltou, no entanto, que vai entrar em contato com a direção da Receita Federal de Corumbá, para tentar doação de material importante para atender as famílias ribeirinhas. Disse que é preciso superar problemas burocráticos, evitando que produtos aprendidos superlotem os depósitos, quando poderiam atender pessoas que realmente necessitam, como os ribeirinhos.

 

A ação

 

A ação emergencial no São Lourenço está ocorrendo devido à cheia do Rio Paraguai na região. O secretário de Governo, Márcio Cavasana, recebeu informações da equipe que atua no Povo das Águas, sobre famílias que estão sofrendo com o crescente aumento do nível das águas.

 

“Nos solicitaram atendimento médico, remédios, cloro para tratar a água, entre outras coisas. A orientação do prefeito foi para que providenciamos um atendimento emergencial, para dar assistência a estas famílias e a Marinha do Brasil, de pronto, colocou-se à disposição”, disse o secretário.

 

As equipes da Prefeitura e da Marinha embarcam na quarta-feira, 07, as 08 horas, do Porto do 6º Distrito Naval. A ação acontecerá até o dia 10 de maio, sábado. Médico, dentista e enfermeiro vão fazer parte do grupo. Só da Prefeitura, vão 11 pessoas.

 

 

Cheia

 

Antes de definir detalhes da ação, o pesquisador da Embrapa Pantanal, Carlos Padovani, fez uma explanação sobre a cheia na região pantaneira. Ele citou que a cheia no São Lourenço se deveu não só ao nível do Rio Paraguai, que subiu, mas principalmente em virtude das chuvas na Bolívia, que causaram inundações no Corixo Grande, localizado em território boliviano. Apesar disso, considerou a situação tranquila, não havendo risco de uma grande cheia no Pantanal, que seria a partir de níveis superiores a 6 metros. Hoje, pela régua de Ladário, está com 3m62.

 

A Defesa Civil de Corumbá também está acompanhando a situação e, conforme explicou o chefe da área, Isaque do Nascimento, destacou que, no início do mês, foi feito um levantamento na região, justamente para antecipar qualquer tipo de problema que pudesse afetar os ribeirinhos, em caso de inundações. Observou que a situação não é de calamidade, mesmo porque os níveis atuais estão bem abaixo dos últimos anos.

 

O prefeito corumbaense elogiou o trabalho que está sendo desenvolvido em parceria, com participação da Embrapa inclusive, e reforçou a necessidade de se desenvolver ações de forma planejada, como está ocorrendo. Observou que, nesta, a equipe contará com profissionais direcionados para atender a saúde do ribeirinho, mas que, nas demais edições do Povo das Águas, todas as pastas estarão envolvidas, além dos parceiros.

 

O encontro dessa tarde contou também com as presenças das secretárias Dinaci Ranzi (Saúde) e Andréa Ulle (Assistência Social e Cidadania); da diretora-presidente da Fundação de Meio Ambiente, Luciene Deová, além de outras autoridades e representantes da imprensa.