Prefeitura atende 21,5 mil pessoas com alimentos direto da agricultura familiar

Mais de 21,5 mil pessoas estão sendo beneficiadas pela Prefeitura de Corumbá por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), desenvolvido em parceria com o Governo Federal, que está permitindo comprar gêneros alimentícios direto do pequeno produtor rural dos assentamentos do Município. Toda a produção é entregue a entidades assistenciais, bem como às escolas da Rede Municipal de Ensino, enriquecendo a alimentação de crianças, adolescentes, jovens e adultos.

 

O programa foi retomado esta semana, após um processo desencadeado no primeiro semestre do ano passado, quando a cidade foi novamente inserida no PAA pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

 

“Foi um compromisso assumido pelo prefeito Paulo Duarte com o pequeno produtor rural, ainda na campanha, que após todos os trâmites legais, foi reiniciado agora, já com as duas primeiras entregas de gêneros alimentícios produzidos nos assentamentos, para atender pessoas assistidas pelas instituições assistenciais ou mesmo alunos da Rede Municipal de Ensino”, explicou o secretário de Produção Rural, Pedro Lacerda.

 

Segundo ele, o primeiro passo foi atender as exigências do Ministério, o que ocorreu no final do primeiro semestre do ano passado. Em seguida, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Produção Rural, realizou o cadastro dos produtores interessados em fazer parte do programa, que resultou no cadastramento de 159 famílias.

 

“Este ano o Ministério confirmou um valor de R$ 1,4 milhão para ser aplicado na compra de gêneros alimentícios produzidos pelos pequenos agricultores. Agora, já iniciamos a etapa da aquisição dos produtos que, de forma imediata, são repassadas às entidades assistenciais e também às escolas”, afirmou, lembrando que para os estabelecimentos de ensino do Município, o encaminhamento acontece direto para a Secretaria de Educação, e enriquece a merenda escolar dos pequenos estudantes e também crianças das creches.

 

A primeira entrega dos produtos aconteceu na terça-feira, 29. No primeiro dia, cerca de meia tonelada de produtos oriundos da agricultura familiar, foi entregue na Secretaria de Produção Rural. Foi o resultado da compra de parte da produção de dois produtores. Já nesta quarta-feira, 30, o total de gêneros alimentícios entregues praticamente triplicou.

 

Quatro agricultores fizeram a entrega nas primeiras horas da manhã: Joaquim José da Silva, do Urucum; Marcia Divina, do São Gabriel; Sidnei Vieira de Souza, do Taquaral, e João Paulo da Silva, do Tamarineiro I. Somente hoje, as pessoas assistidas foram atendidas com mandioca, abóbora, moranga, batata doce, mamão, limão, entre outros.

 

O secretário Pedro Lacerda explicou que parte da produção da agricultura familiar que está sendo comprada pela Prefeitura, por meio do PAA, está sendo repassada a 54 instituições, entre escolas e entidades assistenciais como o Asilo São José, Cripam, Cidade Dom Bosco, Aclaud, entre outras. Ele lembra que, além de atender as pessoas assistidas pelas instituições, a Prefeitura está também valorizando o pequeno produtor rural, que tem a garantia que, parte do que produzir no campo, será direcionado para enriquecer a alimentação de pessoas que realmente necessitam, bem como dos alunos da rede municipal.

 

Produtor comemora

 

A retomada do programa, além de atender 21.502 pessoas cadastradas na Secretaria de Produção Rural, está sendo apontada pelo pequeno produtor rural com o ‘a salvação da lavoura’. “Para nós, se não fosse este programa, nem adiantava plantar. Não tem saída, não tem como comercializar tudo na cidade. O programa veio em boa hora e incentiva a gente produzir mais”, celebrou Joaquim da Silva, 66 anos, do Urucum.

 

São 15 anos produzindo na região, em uma área de 21 hectares. Esta manhã, ele entregou abóbora, limão, mandioca, uma parte do que produz. Na viagem, aproveitou e fez a entrega da produção de Marcia Divina, do São Gabriel. “No total deu mil e duzentos quilos. O programa ajuda muito a gente. Tava fazendo falta”, comentou.

 

Sidnei Vieira, 32 anos, do Taquaral, também disse ter motivo para comemorar a volta do programa. “Sentimos muito quando foi paralisado. Felizmente, foi retomado pela Prefeitura. O programa é a certeza de que o que a gente plantar, vai vender. É a válvula de escape do pequeno produtor”, disse, enquanto fazia a entrega de mais de 300 quilos de moranga e abóbora. “Lá a gente produz mais. É mandioca, pimentão, tomate e outros. Dessa vez, trouxemos só a moranga e a abóbora”, destacou, deixando claro que a próxima entrega será mais diversificada.

 

Enquanto os dois produtores faziam a entrega em uma estrutura localizada na parte dos fundos da secretaria, outro pequeno produtor chegava do Tamarineiro carregando cachos de banana. Era João Paulo da Silva (29) que, junto com a esposa Maria Rosa dos Santos, teve dificuldades para transportar a produção. “Na hora de sair, furou o pneu da camionete. Tivemos que colocar tudo no porta mala e vir com carro pequeno”, disse, já se preparando para retornar ao assentamento, para a segunda viagem.

 

João Paulo participa pela primeira vez do programa. Levou banana, abóbora, batata doce e mamão. Disse que da área de 16 hectares em que ele planta, tem mais: verdura em geral, feijão, mandioca, milho, entre outros. A produção é variada. “Já conhecia o programa e, com  certeza, vai ajudar bastante a gente lá no sítio”, comentou. “Sabemos que vamos produzir e entregar. Antes, a gente perdia metade da produção, não tinha onde entregar tudo na cidade”, finalizou.

 

Estes quatro que fizeram a entrega nessa quarta, fazem parte de um grupo de 159 famílias inscritas na Secretaria que passaram a vender parte da produção à Prefeitura, para doação aos programas e entidades sociais ligadas à Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional.

 

O secretário Pedro Lacerda lembrou que o cadastramento foi realizado em todos os assentamentos localizados no Município, em cumprimento às etapas para oficializar o processo junto ao Governo Federal, e iniciar a compra dos produtos.

 

O cadastramento foi feito na própria sede da Secretaria de Produção Rural, como também nos assentamentos Taquaral, Paiolzinho, Jacadigo, Urucum, São Gabriel e no Mato Grande. Atendeu todos os pequenos produtores destas regiões, inclusive da localidade de Maria Coelho, entre outras.