No campo, trabalhador produz para atender a família corumbaense

Após as intensas chuvas do início de ano, o pequeno produtor rural dos assentamentos de Corumbá está buscando diversificar a produção para atender todos os gostos do consumidor corumbaense. Muitos já iniciaram a preparação da terra para o plantio da safra outono-inverno, e a aposta está na diversificação das culturas. Isso acontece em praticamente todos os assentamentos, principalmente nos localizados na região oeste, mais próximo da divisa com a Bolívia, como o Tamarineiro, Taquaral e Paiolzinho.

 

Enquanto alguns preparam a colheita de frutas cítricas como a ponkan, principalmente, outros trabalham a terra já pensando na próxima safra. É o caso específico de Sebastião Candelário Ortiz, 49 anos, do Taquaral. Ele, durante quase 20 anos, trabalhou com hortaliças. Agora, planeja diversificar sua produção e atender o mercado local com gêneros alimentícios variados.

 

Sebastião, nos últimos 20 anos, mantinha uma horta urbana, na região do conjunto Vitória Régia, e o seu forte era a alface, salsa, cebolinha, rúcula, entre outras. No ano passado, trocou a cidade pelo campo e reassumiu uma área de 20 hectares, que estava sendo cultivada pelos seus pais.

 

A mudança para o campo aconteceu em setembro do ano passado. Desde então, ele tem procurado manter uma clientela especial conquistada durante os longos 20 anos em que trabalhou na sua horta urbana: proprietários de carrinhos de lanche e feirantes.

 

A troca da cidade pelo campo se deveu ao crescimento urbano. Hoje, no local da sua antiga horta, foi edificado uma quadra poliesportiva coberta que será entregue pela Prefeitura no segundo semestre, junto com um Centro de Educação Infantil, em fase final de construção na mesma área.

 

E no Taquaral, Sebastião mantém uma tradição conquistada nos últimos na os de Vitória Régia: produção de alimentos orgânicos. “Estamos no início. Começamos em setembro e já estamos atendendo uma cozinha industrial, as feiras e os carrinhos de lanche, também com produtos orgânicos”, informou. “Mas, como estamos em uma área bem maior, a nossa proposta é diversificar. Já estamos fazendo isto”, complementou.

 

Enquanto mostrava a sua nova horta, bastante diversificada também, Sebastião Ortiz revelou suas pretensões. Uma delas já está saindo do papel. Além de ter um espaço maior para a horta, ele prepara dois hectares para o plantio de feijão. “Nossa meta é plantar de tudo, alface, couve, salsinha, cebolinha, rúcula, cenoura, beterraba, rabanete, feijão… Já estou até preparando um espaço aqui dentro para plantar coco”, revela, apontando para o espaço onde existem 20 mudas prontas para plantio. “Meu objetivo é chegar a 200 pés. Será a minha aposentadoria”, complementa.

 

Mas, enquanto não chega o momento de se aposentar, Sebastião quer aumentar a sua produção e ser um dos grandes fornecedores de alimentos de Corumbá. Além da horta orgânica, que já está produzindo quase tudo, o produtor já trabalha uma plantação de banana e cuida com carinho da sua criação de porcos. “Pretendo aumentar também. Estou com um macho, uma fêmea e os 15 leitõezinhos (primeira cria). Já estou completando o cercado para aumentar e criar eles aqui, solto, junto com as galinhas”, comentou.

 

Gado

 

No projeto de Sebastião Ortiz, o gado também está presente. Pelo menos seis hectares ele está reservando para ter algumas cabeças e “não ficar sem o leite, o queijo…”. E revela que isto será possível a partir do momento em que dividir a área para fazer uma rotação de pasto.

 

Ao que tudo indica, Sebastião não sente saudades da vida na cidade ou mesmo da sua horta urbana. “Lá era só a horta, aqui o espaço é maior, tem área para uma lavoura, pra criar o porco, gado, galinha, enfim, trabalhar com várias culturas”, celebra, apontando para caixas penduradas em um pé de seriguela. “Estou produzindo até mel da abelha jati”, diz satisfeito.

 

Além de diversificar sua produção, Ortiz revelou outro sonho: furar um poço artesiano para ter água suficiente para atender toda a área. “Vai ser lá embaixo”, diz apontando para um dos cantos da sua área. “E será lá que vou construir a casa da minha família”, completa o produtor rural.

 

Sebastião Ortiz, durante a visita, conversou bastante com um técnico da Secretaria de Produção Rural da Prefeitura, o agrônomo Edecio Burguês de Andrade. Queria saber detalhes do Programa de Aquisição de Alimentos (PPA) do Governo Federal, que será desenvolvido na cidade pela Prefeitura Municipal.

 

Pretende fazer parte desse programa e também ser um dos produtores que vai abastecer o futuro mercado municipal que a Prefeitura projeta implantar no prédio do antigo mercadão, que passará por restauração. E é pensando em tudo isto que, além de um ajudante fixo, Roberto Martinez, ele sempre contrata trabalhador por empreitada. Agora, está com outros dois, Sérgio da Silva Pinho e Guilherme Soares Penha, que trabalham na limpeza da área para abrir mais espaços para plantio das mais variadas culturas.