Manifestação fronteiriça em louvor a Nª Srª de Copacabana abre FAS

As festividades em louvor a Nossa Senhora de Copacabana, santa de origem e forte devoção na Bolívia, serão representadas durante a abertura da 11ª edição do Festival América do Sul (FAS), em Corumbá.  Celebrada na região fronteiriça há mais de 10 anos, a santa consegue unir durante as celebrações em sua homenagem brasileiros e bolivianos das cidades de Corumbá e Ladário (Brasil) e Puerto Quijarro (Bolívia).

 

Na acepção da palavra, a festividade em louvor a Nossa Senhora de Copacabana é fronteiriça, pois reserva, ao lado brasileiro, as partes religiosa (missa) e folclórica (entrada), com o desfile de devotos em grupos de danças tradicionais pelas ruas da cidade; e ao lado boliviano, a festa com mais dança, comida e bebida.

 

Na nossa fronteira, a Nossa Senhora de Copacabana é festejada no dia 06 de agosto, mesma data de comemoração da Independência da Bolívia, entretanto para mostrar aos visitantes trazidos pelo FAS como é o jeito fronteiriço de louvar a santa católica, será realizada uma missa às 17 horas, na Catedral de Nossa Senhora da Candelária, na Praça da República, neste dia 30 de abril, data de abertura do evento que reúne a arte dos países sul-americanos na cidade que é o coração do Pantanal e da América do Sul.

 

A celebração religiosa começa às 17 horas e será conduzida pelos padres Fábio Vieira e Jacinto Vaca nas línguas portuguesa e espanhola. Após a missa, os devotos e suas fantasias coloridas seguem dançando a “morenada” e o “caporales” pelas ruas da cidade até atingirem o circuito do festival. Eles são aguardados na praça Generoso Ponce, onde começará o ato oficial da abertura FAS.

 

“Essa festa é uma verdadeira manifestação de fé popular que já soma mais de 11 anos. Iniciada por feirantes e artesãos bolivianos e peruanos, ela destaca nossa fé e nossa latinidade”, disse o presidente do Conselho de Cultura de Corumbá, Arturo Castedo Ardaya.

 

A vice-prefeita e diretora-presidente da Fundação de Cultura de Corumbá, Márcia Rolon, reforçou o convite à comunidade católica, devotos, e população em geral para participar da celebração e prestigiar o desfile folclórico da abertura do Festival.

 

“A festa de Nossa Senhora de Copacabana, em Corumbá, é a maior manifestação cultura de integração fronteiriça de nossa região. Ela já mescla entre brasileiros, bolivianos tanto residentes aqui como do outro lado da fronteira e por isso já demonstra influências que lhe dão um caráter singular”, analisou a diretora-presidente que é mestre em Estudos Fronteiriços pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

 

Curiosidade

 

No século XIX uma réplica da imagem da Virgem foi feita e levada ao Rio de Janeiro, onde foi criada uma pequena igreja para a Nossa Senhora de Copacabana, constituída por comerciantes espanhóis, e algumas chácaras e sítios. E assim foi criado o que, hoje, é o famoso bairro carioca de Copacabana.