Após ação da Prefeitura, Vivo apresenta projeto para melhorar telefonia móvel

A Telefônica Brasil, sucessora por incorporação da Vivo, vai melhorar a qualidade da telefonia móvel em Corumbá. Na semana passada, a empresa apresentou à Gerência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) um plano de expansão para região, com objetivos definidos para curto e médio prazo. A ação aconteceu após a Prefeitura cobrar melhorias no serviço oferecido aos munícipes.

 

“No dia 15 de março, as operadoras de telefonia móvel foram multadas pelo Procon em função da péssima qualidade do serviço oferecido. Recebemos um recurso afirmando que existiam interferências em Corumbá, mas não satisfeitos com essas respostas, notificamos as operadoras para que apresentassem um planejamento a curto prazo para resolver essa situação, seguindo determinação do prefeito,  somado ao crescente número de reclamações no Procon de Corumbá”, explicou o gerente do órgão municipal de Defesa do Consumidor, Alexandre Taques Vasconcelos.

 

“Na semana passada, o Procon recebeu da Vivo essa garantia de que serão feitos investimentos ao longo desse ano. Isso deve melhorar consideravelmente a qualidade da telefonia e da internet móvel na região”, completou Alexandre, garantindo, inclusive, que vai acompanhar de perto a instalação de todos esses equipamentos.

 

Segundo a Telefônica, a empresa possui atualmente seis antenas instaladas na área urbana de Corumbá, todas utilizando as tecnologias 2G e 3G, e ainda duas antenas rurais, distantes cerca de 15 quilômetros da cidade – sendo uma delas equipada com 3G. O sistema de transmissão também foi melhorado recentemente com a ampliação da Rota de Transmissão de Corumbá para Campo Grande de 01 STM-1 para 02 STMI-1.

 

Isso significa que foi duplicada a capacidade de escoamento de tráfego em julho de 2013. A rota entre Campo Grande e São Paulo também foi ampliada, influenciando em melhorias para o todo o Estado.

 

Ainda de acordo com a empresa telefônica, uma das antenas instaladas em Corumbá será ampliada até maio deste ano. Para o mês de julho, outras duas portadoras terão capacidade aumentada em 50%. Uma nova ERB (Estação de Rádio Base) está em fase final de licitação e deve ser instalada em até 120 dias. Outras três serão construídas até dezembro desse ano.

 

“De todo o exposto, verifica-se que esta empresa não permaneceu inerte, ao contrário, vem realizando investimentos contínuos e acompanhando de perto todos os níveis e qualidade de sinal, mediante a realização de medições e diversas outras análises que possibilitam avaliar a situação da rede e realizar melhorias onde sua equipe de engenharia entende necessárias a manutenção e melhorias da qualidade do sinal”, afirmou a Telefônica Brasil.

 

Interferência

 

Ainda de acordo com a empresa, o sinal 3G da Vivo sofre com a interferência de terceiros. “Nesse sentido, esta empresa acionou o órgão regulador, a Agência Nacional de Telecomunicações – ANATEL, que esteve em ação de fiscalização na cidade no período de 31/03 à 04/04/14 onde foi confirmada a utilização por terceiros de reforçadores eletrônicos de sinal celular, prejudicando o uso do SMP (Serviço Móvel Pessoal) fornecido pela Telefônica/Vivo nos Municípios de Corumbá e Ladário”, afirmou a empresa.

 

“Por ocasião da fiscalização, a Anatel procedeu desligamento de alguns equipamentos que estavam causando interferências, resultando na melhoria dos indicadores de qualidade de rede, diminuindo por consequência a taxa de queda de chamada, melhoria de handover, entre outros”, continuou.

 

“Todavia, em face do monitoramento continuo do sistema e seu desempenho, nova interferência foi detectada e a ANATEL está sendo acionada para proceder a nova ação no município, com vistas ao desligue da fonte interferente”, reforçou o comunicado, destacando ainda os problemas causados pelas operadoras do País vizinho, Bolívia.

 

“Some-se a esse fato, também as interferências causadas por operadoras de telefonia da Bolívia, em decorrência da utilização da mesma faixa de frequência do Brasil, sendo que esta situação também já foi levada ao conhecimento da ANATEL para intermediação e solução do problema de coordenação de frequências entre os dois países”, concluiu a Telefônica Brasil.