Vetria apresenta projeto de exploração mineral para secretários de Corumbá

Resultado da associação entre a América Latina Logística (ALL), Triunfo Participações e Investimentos (Triunfo) e Vetorial Participações (Vetorial), a Vetria Mineração S.A. apresentou nessa terça-feira, 18, seu projeto para exploração da mina localizada na região de Maria Coelho, em Corumbá. O evento foi direcionado aos secretários municipais e servidores diretamente ligados à área.

 

A vice-prefeita e diretora-presidente da Fundação de Cultura, Márcia Rolon, representou o prefeito Paulo Duarte. Márcio Cavasana (Governo), Andrea Ulle (Assistência Social e Cidadania), Luiz Henrique Maia de Paula (Gestão Pública), Waléria Cristiane Andrade Leite (Fazenda e Planejamento), Pedro Paulo Marinho (Indústria e Comércio), Luciene Deová (Meio Ambiente) e Fernando Lucena (Segurança Pública) também participaram do encontro, realizado no Auditório da Prefeitura.

 

A proposta da Vetria é aumentar a capacidade de produção da mina, hoje de 1 milhão de toneladas de minério de ferro por ano. Para escoar todo esse minério de ferro, a empresa pretende modernizar a linha férrea de Corumbá até Mairinque, no estado de São Paulo, e reduzir em até 60% o tempo da viagem até Santos (SP), onde um porto deve ser construído pelo conglomerado.

 

Só na linha ferroviária, a mineradora orçou investimento de R$ 6,4 bilhões, que incluem a aquisição de 4.832 vagões, 178 locomotivas, a troca de aproximadamente 4 mil quilômetros de trilhos e 3 milhões de dormentes. O investimento total, onde também está prevista a ampliação da área de lavra e, consequentemente, do número de empregos diretos e indiretos, é de R$ 12 bilhões.

 

A expectativa é de usar 4,5 mil operários só nessa fase de ampliação e mais 1 mil na operação da mina. A Vetria também apresentou o estudo social, ambiental e de qualidade do produto encomendados pela empresa. O minério de ferro da região, segundo os estudos, é de altíssima qualidade e as reservas são suficientes pelo menos até os próximos 40 anos. A Mineradora está em fase de obtenção das licenças ambientais para operacionalização do projeto.

 

Até o início de 2015 o grupo deve estar apto a buscar financiamento para execução do plano. A operacionalização deve estar efetivamente funcionando em até 4 anos, a partir da confirmação desse aporte financeiro. A apresentação foi feita diretor de projetos da mineradora, Sandro Pisini, a coordenadora de meio ambiente, Angélica Beccate, e pelos profissionais da Delphi Projetos e Gestão, contratada para realizar os impactos ambientais, sociais e econômicos do plano.

 

O projeto será apresentado à comunidade no próximo dia 10 de abril, durante uma audiência pública marcada para às 19 horas, com local ainda a ser definido pelos organizadores. Em maio de 2013, o diretor-presidente da Vetria, Alexandre Santoro, esteve na cidade e se reuniu com o prefeito Paulo Duarte. Na época, o chefe do Executivo elogiou a postura da mineradora por incluir o Poder Público e a sociedade em seu projeto para a região.