Semana das Mulheres é aberta com mensagem de combate à violência

O Dia Internacional da Mulher, 08 de março, comemorado no último sábado, abriu, em Corumbá, um calendário de atividades de conscientização e reflexão sobre o tema de gênero em nossa sociedade. Coordenadora pela Gerência da Mulher, órgão ligado à Prefeitura Municipal de Corumbá, a programação segue até o domingo, dia 16.

 

A abertura da Semana da Mulher aconteceu com a tradicional “blitz das flores” na principal rua do centro comercial da cidade, a Frei Mariano, onde as condutoras e passageiras recebiam além de uma flor, como gesto de carinho, panfletos informáticos sobre os diretos e rede de proteção feminina instalada no município.

 

Benvinda Rodrigues gostou da surpresa feita pela Gerência da Mulher, em parceria com a Polícia Militar e a AGETRAT (Agência Municipal de Trânsito e Transporte). “Geralmente, quando a gente vê essa estrutura montada na rua é para fiscalizar, coibir e, hoje, foi diferente. Acredito que esse simples gesto é importante para as mulheres lembrarem que todo dia é dia delas, e dia de lutas e conquistas”, comentou.

 

Cristiane Sant’anna, gerente das Mulheres de Corumbá, esclareceu que o pensamento da passageira Benvinda é correto e apontou que o maior desafio ainda é vencer a violência praticada contra a mulher e por isso as participantes da blitz, esse ano, ao invés do tradicional rosa, usaram laços de cor negra no peito, lembrando o luto por todas as mulheres que sofrem e perdem suas vidas decorrentes dessa prática violenta.

 

“Há um movimento deflagrado em nível nacional para que o 8 de março seja uma data para reafirmar aquilo que a gente ainda não conquistou. Em Corumbá, a gente temos muita coisa para celebrar, mas tem também coisas que precisamos lembrar: a violência contra a mulher. A Lei Maria da Penha, que ainda tem dificuldade de ser entendida e aplicada, e a divisão sexual do trabalho doméstico. A saúde da mulher está sendo fortemente impactada porque sabemos que ela faz a primeira jornada fora de casa e a segunda e a terceira dentro de casa”, afirmou.

 

Presidente interina do Conselho da Mulher, Arlene Inês de Carvalho Costa, repassou uma estatística alarmante vivenciada no país com relação à violência contra a mulher. “Infelizmente, mesmo com a Lei Maria da Penha e com todo aparato que nós temos, a violência ainda continua. Hoje, duas a três mulheres ainda são espancadas por dia”, disse ao citar estatísticas e aproveitou para falar sobre o que deve permear a data comemorativa. “A gente esquece que temos os direitos e se a gente não está sempre falando, é esquecido. Direito de sermos livres, de ir e vir sem coibição por qualquer forma de coibição, esse é um momento de reflexão”, apontou.

 

Um novo momento das políticas públicas para as mulheres começará a ser vivenciada na cidade, segunda Cristiane Sant’anna, ao citar a previsão do início dos trabalhos para a formulação do Plano Municipal das Mulheres, ferramenta que irá nortear várias ações a longo prazo, além de acompanhamento de sua aplicabilidade e análise do mesmo.

 

“A Gerência é recente, como tudo que diz respeito às políticas para as mulheres no país, mas já algumas pegadas pelas quais a gente pode caminhar. Esse ano, iniciaremos o processo para a elaboração do Plano Municipal das Mulheres, mas já podemos após várias ações realizadas (fortalecimento do Conselho da Mulher, Criação do Fórum da Mulher do Campo e Ribeirinhas, etc), elaborar um plano que tem o objetivo não somente de apontar metas, o que as mulheres querem, mas também uma comissão que monitore a implantação dele”, explicou ao calcular que a elaboração do documento se processe em até 12 meses, tempo, segundo a gerente, “suficiente para que realmente seja um Plano que reflita a cara das mulheres corumbaenses”.