Especialistas fazem diagnóstico minucioso sobre a Influenza A na cidade

Após a confirmação do caso de H1N1, uma equipe composta por técnicos do Ministério da Saúde, especialistas na área de investigações epidemiológicas e coordenadores do Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde, estiveram em Corumbá, a pedido da Prefeitura, para realizar um diagnóstico e avaliar a situação do município em relação à Influenza A (H1N1).

 

Além desse diagnóstico, nos locais por onde passaram, os profissionais também explicaram os protocolos e métodos de prevenção da Influenza A, manejo adequado de medicação e as diferenças entre síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave. 

 

De acordo com o Ministério da Saúde, no município não há indícios de surto ou epidemia. Por esse motivo a Campanha Nacional de Vacinação contra H1N1 não deverá ser antecipada em Corumbá, seguindo o calendário estipulado pelo Ministério, que acontece em abril.

 

Diante disso, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, criou um Plano de Contingência de forma a observar e acompanhar a parte epidemiológica e de evolução dos casos, monitoramento  e notificação de casos suspeitos, capacitação de agentes multiplicadores a respeito das ações de prevenção à H1N1, palestras de orientação à comunidade nos CRAS e Escolas do Município, entre outras ações.

 

Nesta terça-feira, 18 de março, em entrevista na Prefeitura de Corumbá, a Secretária de Saúde, Dinaci Ranzi, falará sobre a avaliação feita pelos técnicos do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde.

 

Influenza A (H1N1)

 

A H1N1 (Influenza A) é uma doença respiratória aguda (gripe), causada pelo vírus da influenza, assim como a gripe comum, é transmitido de pessoa a pessoa, principalmente por meio de tosse ou espirro e de contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas.

 

Quais os sintomas que definem um caso suspeito de Influenza A: Febre alta repentina, acima de 38 graus, tosse, dor de cabeça, dores no corpo e nas articulações, falta de ar. Os sintomas surgem em até 10 dias após a pessoa ter contraído o vírus da Influenza A.

 

O que fazer se apresentar os sintomas: Apresentando quatro ou mais dos sintomas relacionados acima deve-se procurar a unidade de saúde mais próxima de sua residência. É importante que o exame para H1N1 seja feito antes do início do tratamento com antiviral, pois o mesmo não é indicado para todos os casos, apenas para aqueles casos graves ou com  possibilidades de complicação. Não tome medicamentos por conta própria, pois eles podem ocasionar a resistência do vírus ao tratamento adequado.

 

Precauções:

 

– Higienizar as mãos sempre que possível, lavando-as com água e sabão todas as vezes que pegar em maçanetas de portas ou corrimãos;

– Ao tossir, utilizar lenços de papel e descartá-los nos locais adequados (lixeiras);

– Evitar aglomerado de pessoas;

– Utilizar álcool 70% sempre que possível;

– Limpar os móveis diariamente, lembrando que o vírus sobrevive em superfícies por até uma semana;

– Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;

– Não usar medicamentos sem orientação médica adequada.