Com apoio da prefeitura, Aclaud mantém atendimento a dependentes químicos

Em dezembro do ano passado, a Aclaud recebeu o apoio financeiro de R$ 100 mil da Prefeitura de Corumbá. O recurso, repassado por meio do Fundo Municipal de Investimento Social (FMIS), está sendo utilizado para garantir a alimentação das 10 pessoas que hoje estão na Fazenda do Senhor Jesus, unidade terapêutica localizada na região da Tromba dos Macacos e administrada pela Aclaud.

 

Todos os pacientes são homens e estão na residência por vontade própria. Eles têm total liberdade para deixarem a fazenda quando quiserem, mas com a consciência de que um eventual retorno só poderá ser feito dentro de um ano, dependendo ainda da disponibilidade de vaga. “Nós trabalhamos com um processo de reeducação, onde a pessoa tem que assumir sozinha a responsabilidade de seus atos”, explicou Candido Antônio, presidente da Aclaud.

 

Na unidade não há utilização de remédios. O tratamento é unicamente terapêutico e laboral. Todos trabalham na manutenção do prédio e nas muitas atividades relacionadas à rotina de uma fazenda, como cuidar da horta, dos animais e etc. A religião é outra grande aliada na batalha diária para afastar os internos da dependência química. O tratamento tem duração de nove meses e é totalmente gratuito.

 

A unidade se mantém exclusivamente de doações da sociedade e do apoio recebido da Prefeitura de Corumbá, recurso utilizado ainda para aquisição de materiais de limpeza e combustível para o único veículo disponível pela instituição: uma Kombi viabilizada pelo FMIS. “Se não fosse a Prefeitura, hoje a fazenda do Senhor Jesus estaria desativada”, avaliou Candido Antônio, ou Toninho, como ele é mais conhecido na cidade.

 

O prédio é antigo e precisa de várias intervenções, até mesmo para que tenha condições de abrigar um número maior de pessoas. A fila de espera tem quase 40 nomes. “Vim aqui para ver de perto a situação do local e ver como podemos ajudar ainda mais a Aclaud”, afirmou o prefeito Paulo Duarte, que visitou a fazenda nessa sexta-feira, 14 de março, acompanhado do gestor do FMIS, Lamartine Figueiredo Costa.

 

O prefeito conversou com os pacientes e ouviu relatos emocionantes de homens determinados a reconstruir suas vidas. “Essas pessoas foram prejudicadas pelas drogas e estão buscando reintegrarem-se a sociedade. Por isso vamos buscar parcerias com outras instituições e com a iniciativa privada para que esses cidadãos fiquem mais próximos desse objetivo”, concluiu Duarte.