Arrastão contra a dengue vai envolver equipes de todas as unidades de saúde

Todas as equipes das unidades de saúde da área urbana de Corumbá vão estar envolvidas em um grande arrastão contra a dengue programado para o dia 25 de março. A ação foi articulada esta semana pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Saúde, e visa eliminar os focos de proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

 

Durante todo o dia 25, as unidades de saúde estarão com suas portas fechadas e o atendimento será diretamente na casa dos usuários do sistema. “Será um arrastão educativo nos pontos com siderados críticos, visando controlar e combater a dengue”, explicou a secretária de Saúde, Dinaci Ranzi.

 

Segundo ela, a ação é uma estratégia adotada pelo Município para reduzir os índices de infestação do mosquito causador da doença dentro dos imóveis habitados da cidade. Levantamento do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) demonstra que a maior incidência de infestação está justamente no interior das residências, o que deixou o setor de saúde pública preocupado.

 

O arrastão será iniciado às 08 horas do dia 25, uma terça-feira, nas regiões das unidades. Vai envolver todas as Equipes de Saúde da Família (médicos, enfermeiras, agentes comunitários e técnicos). “Vamos realizar visitas às residências daquela população referenciada na respectiva unidade de saúde, em conjunto com os Agentes de Controle de Endemias e equipes da Secretaria de Saúde.

 

“É bom lembrar que nesse dia, as Unidades de Saúde da Família irão realizar seu trabalho nas residências. Portanto, os prédios das unidades ficarão fechados para os atendimentos rotineiros”, disse Dinaci. “A iniciativa visa instruir os moradores a colaborarem para a eliminação de depósitos de larvas, além do cuidado com a higiene das casas”, completou.

 

Durante o arrastão os moradores serão orientados a eliminar do interior das suas residências, pequenos depósitos móveis, vasos e pratos de plantas, frascos com plantas, bebedouros de animais, etc.; pneus e outros materiais rodantes, bem como lixo diverso, como recipientes plásticos, latas, sucatas e entulhos. “Tudo isso é apropriado para proliferação do mosquito da dengue, além de outras doenças”, explicou a secretária.