Prefeitura reforça parceria com o Moinho para ampliar atividades na cidade

“Sonhar mais um sonho impossível. Lutar quando é fácil ceder. Vencer o inimigo invencível…” foi ao ler essas palavras do compositor e cantor Chico Buarque de Holanda que o prefeito Paulo Duarte decidiu unir forças com o projeto Moinho Cultural Sulamericano.

“Como poder público é mais fácil estabelecer uma parceria com aquilo que já existe, no caso do Moinho há 10 anos, e estamos vendo que está dando certo, então à idéia é se apropriar do que já existe ao invés de fazer algo para competir. Vamos unir forças para melhorar aquilo que já funciona”, disse o prefeito Paulo Duarte.

O prefeito colocou para os alunos que o trabalho realizado pelo Moinho é muito importante não só para a cidade, mas para o estado, “tenho muito orgulho desse projeto e a minha vinda aqui é para estreitar mais os nossos laços, porque aqui tem gente de vários lugares, Corumbá, Ladário e Bolívia. E aqui as pessoas mais humildes têm mais oportunidades que as outras e é importante que vocês também tenham orgulho de fazer parte desse projeto, porque além do talento que vocês têm e que está sendo lapidado, vocês tem que ter disciplina para seguir e frente e mudar a vida de vocês”.

Monica Macedo, diretora do instituto ficou muito feliz ao ouvir essas palavras e lembrou que “a prefeitura já é responsável pelo pagamento da água e da luz do Moinho, além de disponibilizar duas professoras e da doação de 20 computadores que foi feito pelo fundo municipal da criança e o adolescente. Agora ao saber que a prefeitura vai englobar o Moinho é uma grande vitória para nós”.

Após saber que muitas crianças ficam de fora ao fazerem o processo seletivo que atualmente é realizado pelo Moinho no começo do ano durante dois dias, com provas de conhecimentos, físicas e de aptidões, o prefeito decidiu ampliar o número de vagas e mudar o processo de seleção.

“Fiquei impressionado ao saber que em média, por ano, 250 crianças ficam de fora do Moinho, por isso pretendo ampliar o número de vagas e talvez colocar o processo de seleção para que seja feito nas escolas municipais ao logo do ano letivo em várias etapas”, explicou Paulo Duarte.

Hoje o Moinho Cultural Sulamericano atende 360 crianças, jovens e adolescentes de Corumbá, Ladário e Bolívia que frequentam o instituto durante os dois períodos.