Prefeito destaca importância da Academia de Música no contexto social

Os alunos veteranos e calouros da Academia Municipal de Música Manoel Florêncio receberam as boas vindas, na tarde dessa terça-feira, 11. O ato, que abriu o ano acadêmico dos 185 estudantes da instituição, contou com a presença do prefeito Paulo Duarte que destacou a importância da música no contexto social, cultural e econômico.

 

“Eu acredito no poder da arte e da cultura como papel transformador na vida de uma pessoa. E aqui, nós vamos dar oportunidade para todos. Acreditamos que esta escola é o lugar de lapidar talentos e valorizar pessoas”, observou o chefe do Executivo Corumbaense.

 

Aproveitando a ocasião, o prefeito reforçou o compromisso de climatizar a escola de música, juntamente com espaço que atende hoje a oficina de dança do Pantanal. “Eu quero, já em abril, agilizar o processo para climatização dessas salas daqui, assim como já estamos fazendo em todas as escolas da Rede Municipal de Corumbá”, lembrou. “Vou tentar voltar aqui com o ar condicionado, porque a gente quer o mais rápido possível esse lugar climatizado”, completou.

 

A vice-prefeita e diretora-presidente da Fundação de Cultura de Corumbá, Márcia Rolon, parabenizou os alunos e todo corpo docente da instituição pela luta “para colocar o nome da Banda e toda a academia de música como referência no Município”, declarou.

 

Academia de Música

 

Mantida pela Prefeitura Municipal, por meio da Fundação de Cultura de Corumbá, a Academia de Música inicia 2014 com 185 alunos, sendo 105 que já frequentam a instituição, e 80 novos acadêmicos entre crianças de 09 a 12 anos, adolescentes e adultos.

 

Os acadêmicos terão aulas teóricas e práticas de Educação Musical. Dentre as disciplinas estão Musicalização, Teoria Musical, História da Música, Divisão Rítmica, Percepção Musical, Percussão (rudimentar, marcial, popular), Canto e Práticas de Instrumentos.

 

Também serão oferecidas oficinas de construção de instrumentos alternativos, iniciação à prática instrumental (flauta doce) e práticas em conjuntos instrumentais e vocais, por exemplo, o Coro Infanto-Juvenil AMANF e a Banda Jovem, que funcionarão como laboratórios, para ingressarem, futuramente, na Banda Municipal Manoel Florêncio.