Escola em período integral reflete de forma positiva aprendizado das crianças

O novo modelo de Escola de Tempo Integral já reflete positivamente no aprendizado dos alunos da Rede Municipal de Ensino (Reme) de Corumbá. Implantado há dois anos no Município, a proposta pedagógica, que tem respondido às necessidades básicas dos alunos de três escolas da zona urbana e uma da zona rural, em 2014 recebe o desafio de adaptar o currículo de mais uma unidade de ensino, a escola Rural Eutrópia Gomes Pedroso, que passa a ser Experimental de Educação Integral.

 

E na busca para um melhor rendimento dessas unidades que já possuem um currículo adaptado ao período integral, a Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Educação está realizando uma formação, que envolve discussões e reflexões sobre a ampliação de tempos e espaços alternativos, propondo estratégias que fortaleçam a prática pedagógica dos profissionais que atuam em escolas de educação integral, resultando na melhoria da qualidade da educação.

 

Ao todo, 80 educadores participam até amanhã, sexta-feira (06), da capacitação que já colhe resultados positivos. “Aqui, fizemos uma reavaliação desses dois anos de trabalho, e concluímos que poucos são os pontos negativos, porque trabalhar com educação integral é você sair de dentro da escola é ir até a sociedade. É você conhecer melhor seu aluno, a família dele, além de estar preparado para, cada dia, viver novas mudanças, ou seja, se reinventar durante as aulas”, contou a professora Eva Vanjura de Moura, da Escola Municipal Integral, Tilma Fernandes Veiga.

 

Para ela, que trabalha há dois anos com o formato de educação integral, a experiência foi um desafio. “O próprio sistema fez com que você se renovasse e buscasse novas alternativas de trabalho, saindo um pouquinho daquele comodismo, ou seja, da maneira formal de trabalhar”, disse a professora. “Eu acredito muito que a escola integral desafia você a inovar, a mudar todo o seu ritmo, a sua estrutura de trabalho, algo que irá proporcionar uma educação pública de qualidade para todos”, concluiu a professora.

 

De acordo com a gerente de Gestão de Políticas Educacionais, Maria Aparecida Dias de Moura, a matrícula curricular da escola integral exige uma formação diferenciada. “Como exige um tempo maior de preparo para os professores, promovemos essa capacitação para discutir melhor o tema, entender um pouco da história da educação integral no Brasil, discutindo temas importantes dentro dessa perspectiva”, destacou.

 

Atualmente, o Município de Corumbá possui cinco escolas de educação integral: Escola Municipal Experimental Luiz Feitosa Rodrigues, Escola Municipal Experimental Rachid Bardauil, Escola Municipal Experimental Tilma Fernades Veiga, Escola Municipal Rural Experimental Porto Esperança e, a partir de agora, a Escola Municipal Rural Experimental Eurtrópia Gomes Pedroso.