Corumbá registra o maior crescimento de empresas abertas nos últimos 4 anos

O ano de 2013 foi o “tudo ou nada” para o casal Roberto e Renata Oliveira. Ambos decidiram arriscar todas as economias e abrir uma padaria com uma proposta diferenciada em Corumbá. Alugaram um prédio em uma área nobre, próxima ao centro da cidade, e enfrentaram seis meses de reforma até que tudo ficasse do jeitinho como queriam. “O corumbaense está mais exigente e sentíamos que faltava uma opção de padaria com produtos e atendimento de qualidade e preço justo, um espaço onde o freguês entre e se sinta bem acolhido”, explica Renata. “Inauguramos no dia 1 de julho de 2013 e hoje vemos o retorno, com 80% de clientes novos e fieis”, comemora.

 

Esse mesmo espírito empreendedor que moveu o casal Roberto e Renata no ano passado, motivou outros 858 empresários a abrirem novas empresas na cidade ao longo do mesmo período. Segundo dados da Junta Comercial do Estado do Mato Grosso do Sul (JUCEMS), só em 2013 foram abertas 859 empresas em Corumbá, aumento considerável de 47% em relação ao ano anterior, melhor desempenho do comércio local nos últimos quatro anos! O município representou 11% do total das aberturas de empresas no Estado, que somou 7.635 novos empreendimentos.

 

Outro dado importante refere-se ao saldo anual, ou seja, a relação entre as empresas constituídas e as extintas. Neste quesito, o município de Corumbá obteve em 2013 seu melhor desempenho, com 714 empresas, quase 200 a mais que em 2012.

 

Os números comprovam a força e o bom momento vivido pelo comércio corumbaense, sobretudo à partir de 2013, e vem ao encontro de outras métricas e levantamentos realizados no município. No ano passado, a Prefeitura de Corumbá, por intermédio da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio, lançou o “Índice de Confiança do Empresário Corumbaense – Comércio”, um método científico elaborado à partir da ótica dos empresários para direcionar ações específicas e fortalecer o desenvolvimento da economia local.

 

Já na primeira edição do “Índice”, a maioria dos empresários mostrou-se confiante e otimista. Se 2013 foi um ano bom, 70% deles disseram que 2014 será tão bom ou melhor.

 

MEIs

 

O bom momento vivido pelo comércio corumbaense em 2013 se reflete também no microempreendedorismo. Graças a um trabalho em parceria com o Sebrae, coordenado pela Secretaria Municipal de Indústria e Comércio, no ano passado foram realizadas 494 inscrições de Microempreendedores Individuais (MEIs), conforme dados da JUCEMS. Destes, 139 registrados à partir da Sala do Empreendedor, programa da Prefeitura de Corumbá que em seu primeiro ano de atividade foi responsável por 30% das formalizações de MEIs do município, que conta agora com 1.680 microempreendedores.

 

Além de tirar esses pequenos empreendedores da informalidade, o programa está transformando vidas e realizando sonhos. Foi assim com o jovem casal corumbaense Jeane Modesto dos Santos e Carmelo Valdívia. Ela, moto-taxista. Ele vivia de bicos em uma serralheria improvisada no quintal de casa, no bairro Centro América, porém ambos compartilhavam o sonho de abrirem, juntos, uma empresa de usinagem, serralheria e solda. “Havia o medo dos impostos, da mordida do Leão (Imposto de Renda), da necessidade de muito capital inicial, essas coisas”, explicou Jeane, que um dia resolveu buscar informações e se surpreendeu com as vantagens e benefícios de se tornar um MEI, como aposentadoria, Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), auxílio-doença e auxílio-maternidade, tudo por R$ 39,90 ao mês. “Realmente, a informação é a melhor amiga do empreendedor”, comemorou Jeane, que realizou o sonho com o marido e agora faz questão de explicar a parentes e amigos empreendedores as vantagens de ser um MEI.