Corumbá registra queda na evasão escolar de alunos beneficiários do Bolsa Família

A evasão escolar entre alunos de 6 a 17 anos (Pré-Escola, Ensino Básico, Ensino Fundamental e Ensino Médio) de famílias beneficiárias do Bolsa Família em Corumbá caiu 1060% em um ano. Ao final de 2012, Corumbá totalizava 1.293 alunos das Redes Municipal e Estadual fora dos bancos escolares. No fim de 2013, esse número despencou para somente 15 alunos.

 

O resultado excepcional se deve a uma conjunção de fatores. Primeiramente ao Sistema Presença, do Ministério da Educação (MEC), que realiza o acompanhamento bimestral online da frequência escolar de crianças e adolescentes beneficiárias do Programa Bolsa Família, uma vez que esta é uma das condicionalidades do programa social. Para continuar recebendo o benefício do Bolsa Família, as famílias assumem o compromisso de matricular suas crianças e adolescentes entre 6 e 15 anos na rede de ensino e garantir uma frequência escolar mensal mínima de 85% da carga horária, ao passo que na faixa etária de 16 a 17 anos (Ensino Médio) essa frequência mínima cai para 75%.

 

O outro motivo da queda da evasão escolar em Corumbá vem do trabalho conjunto da Prefeitura de Corumbá, por meio da Secretaria de Assistência Social e Cidadania, responsável pela coordenação em âmbito municipal do Sistema Presença, e da fundamental parceria com as secretarias de Educação e Saúde.

 

“Esse grande avanço para a educação de Corumbá foi alcançado graças a um trabalho inter-setorial de busca ativa, caso a caso. E queremos ir além, nossa meta é zerar a evasão escolar no município, 100% das crianças e adolescentes na escola”, disse o subsecretário de Assistência Social e Cidadania, Nilo Corrêa. “É muito importante o cumprimento das condicionalidades, garante o sucesso do Bolsa Família e também a preocupação no acompanhamento às famílias no que diz respeito não só à educação, mas na saúde e na assistência social como um todo”, acrescentou.

 

Na área de saúde as famílias beneficiárias assumem o compromisso de acompanhar o cartão de vacinação e o crescimento e desenvolvimento das crianças menores de 7 anos. As mulheres na faixa de 14 a 44 anos também devem fazer o acompanhamento e, se gestantes ou nutrizes (lactantes), devem realizar o pré-natal e o acompanhamento da sua saúde e do bebê.