Corumbá capacita rede e busca fortalecer as ações voltadas para a mulher

Corumbá está trabalhando para fortalecer cada vez mais a participação social na formulação, implementação, avaliação e controle das políticas públicas de promoção da igualdade das mulheres e de combate a todas as formas de discriminação, considerando as múltiplas formas de desigualdades. Um passo importante foi dado na terça-feira, 28, com a capacitação das com integrantes do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher.

 

O evento foi realizado no auditório da Casa dos Conselhos e foi promovido pela Prefeitura de Corumbá por meio da Secretaria de Assistência Social e Cidadania. A coordenação esteve a cargo da Gerência de Políticas para a Mulher.

 

A capacitação contou com presenças de representantes de outros conselhos existentes na cidade, da Rede de Proteção e de Organizações Não Governamentais que atendem mulheres na região de Corumbá e Ladário.

 

Cristiane Sant’Anna, gerente de Políticas para a Mulher, informou que foi uma mesa de diálogo social, que permitiu passar informações importantes sobre a lei de criação, composição, caráter e atribuições dos Conselhos; pautas e ações, programas, projetos e campanhas de Promoção dos Direitos das Mulheres, bem como as ações necessárias para o fortalecimento dos conselhos.

 

A secretária de Assistência Social e Cidadania, Andréa Ulle, participou da Mesa de Diálogo focando o tema “As Políticas de Gênero na Administração Pública”. Ele ressaltou a política adotada pelo prefeito Paulo Duarte ao valorizar a participação feminina dentro da administração pública, ocupando cargos de primeiro e segundo escalão, principalmente. “A mulher tem voz na administração do prefeito Paulo Duarte”, observou.

 

Outros que abordaram temas importantes foram Ahmad Schabib Hany, “Observatório da Cidadania”; Dom José Alves da Costa, “O controle social numa perspectiva de gênero”; Joilce Ramos, da Delegacia de Atendimento a Mulher, “A importância da atuação dos Conselhos de Direitos no Enfrentamento à Violência contra a Mulher”, e Ednir de Paulo, do Instituto de Mulheres Negras do Pantanal, que abordou as “Políticas de empoderamento das Mulheres Negras”.