Coleta seletiva e Cacimba foram ganhos para área ambiental de Corumbá

Uma das grandes conquistas para a área ambiental de Corumbá foi a implantação da coleta seletiva do lixo. Em 2013, o município, finalmente, conseguiu implantar o sistema de gerenciamento de resíduos sólidos urbanos que colabora com a questão ambiental.

 

Em ocasiões anteriores, a coleta seletiva foi adotada, mas não obteve êxito. Em junho do ano passado, após lançamento no mês de junho, quando se comemorou a Semana do Meio Ambiente, a coleta diferenciada tornou-se rotina para milhares de famílias da cidade. Para se ter uma ideia da adesão dos moradores, somente no primeiro dia de atuação do caminhão (06 de junho), foi recolhida 1,5 tonelada de material reciclável.

 

Atualmente, na área central, o serviço acontece às terças e sextas-feiras, a partir das 08 horas. No Arthur Marinho e Dom Bosco, às quartas, também a partir das 08 horas, e no bairro Universitário às quintas-feiras, em mesmo horário.

 

Todo o material recolhido é entregue para as duas associações de catadores existentes no município (Vale da Esperança e Preservadores do Meio Ambiente), que são as responsáveis pela triagem e separação do lixo seco, tarefas que geram renda para cerca de 30 famílias.

 

“A Coleta Seletiva não é uma coisa que está na moda simplesmente. É uma questão de sobrevivência para as próximas gerações, que merecem ver e viver aquilo que estamos experimentando nesse bioma riquíssimo que é o Pantanal. Em 2050 teremos 9 bilhões de habitantes, em um mundo altamente consumista. Se começarmos a agir já, temos chance de construir um futuro sustentável”, comentou o prefeito Paulo Duarte sobre o sistema.

 

A Prefeitura também distribui sacos plásticos diferenciados na cor azul para que os moradores acomodem esse tipo de lixo residencial reciclável e que a coleta os identifique de forma mais precisa.

 

Papeis, como folhas e aparas de papel, jornais, revistas, caixas de papelão e embalagens Longa Vida, cartolina e cartões, impressos em geral, envelopes e rascunhos escritos, fotocópias e folhetos podem ser separados para a coleta seletiva. Além disso, metais, como latas de alumínio e de aço, de conservas, molhos etc., ferragens, canos, esquadrias, cobre e arames.

 

Entram nessa categoria também os plásticos, potes de alimentos, garrafas PET, embalagens de material de limpeza e higiene, PVC, sacos e tampas plásticas, brinquedos e utensílios como baldes e bacias. Por fim, os vidros, potes, copos, garrafas, embalagens de molhos, conservas e alimentos. No entanto, para que o lixo útil tenha valor, é preciso que esteja limpo e seco.

 

Cacimba da Saúde

 

Outra ação positiva para a área ambiental foi a revitalização do Eco Parque Cacimba da Saúde, na região do bairro Cervejaria. Além de ponto turístico da cidade, o local agrega importância pela conscientização ambiental dos visitantes e da população corumbaense. Recentemente remodelado e reformado pela Prefeitura Municipal, com investimentos de R$ 869 mil, o espaço conta, agora, com uma quadra poliesportiva, quadra de areia, playground, equipamentos para ginástica, quiosques e espaços de convivência, além de toda a iluminação refeita e um novo paisagismo.

 

A Prefeitura também pretende integrar um roteiro turístico naquela região da cidade, onde se encontra os fósseis do pequeno animal invertebrado Corumbella weneri – a forma de vida mais antiga da América da Sul, descoberta em 1980 pelo pesquisador alemão Detlef Walde – e toda a beleza do pantanal corumbaense.

 

A área também está incluída no projeto Orla Corumbá/Ladário, coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente, por meio da Secretaria de Qualidade Ambiental nos Assentamentos Humanos, e pela Secretaria do Patrimônio da União, pasta ligada ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.