Fôlego Máximo: Tande encara desafios radicais no Pantanal de Corumbá

Viagens cansativas, aventuras de tirar fôlego e recompensas gratificantes na bela paisagem do Pantanal. Tande passou por uma mistura de sentimentos durante o “Fôlego Máximo” do Esporte Espetacular. O primeiro desafio foi saltar de parapente a 760 metros de altura, no topo do Morro Tromba dos Macacos, local com visual deslumbrante.

 

– Estou morrendo de medo, juro para vocês. Mas, encarar essa vista vale a pena. Olha que bonito. Só aqui no Brasil, só no Pantanal – disse o repórter.

 

O voo é um sucesso. Foram quase 40 minutos no céu, com os atletas admirando a vegetação e a diversidade geográfica do Pantanal. Tande só encontrou dificuldades no pouso, mas mesmo assim, não teve problemas.

 

Depois do ar, nosso aventureiro decidiu se arriscar na água, em uma maratona de cinco mil metros. Foram quatro quilômetros e meio no Canal Tamengo, sem nenhuma correnteza e muito barro, e 500 metros no Rio Paraguai, habitat de piranhas e jacarés. O grande desafio dessa etapa é a temperatura da água, que beira os 50 graus.

 

Após duas horas e vinte minutos de muito sofrimento e superação nas águas doces do Pantanal, Tande completa a prova.

 

– Depois de certo momento, acho que depois do quilômetro 3, meu ombro já não conseguia fazer o movimento. Realmente, é complicado quando você perde um movimento. Eu só fiquei com a braçada do peito – afirmou.

 

Após desafios na água e no ar, a última aventura consistia em uma pedalada de 30km em terra, barro e asfalto. Para o repórter, o começo não foi o problema, mas sim, a falta de descanso após um dia corrido. Após dificuldades e obstáculos variados, a chegada:

 

– Muito barro, difícil demais por causa da coluna, joelho, coisas normais de ex-atleta. Foi mais uma experiência cumprida, provando a vocês que tem que ter fôlego máximo mesmo – finalizou. As infrmações são do Globo Esporte.com.