Até placa de aço é retirada de galeria que causou inundações na Albuquerque

Construída para servir de escoamento de águas em períodos de chuvas e evitar inundações, as galerias de Corumbá estão sendo utilizadas com outra finalidade por parte da população. Estão até mesmo servindo de depósito de todo tipo de material, inclusive placas de aço e pneus. E o resultado dessa irregularidade não poderia ser outro. Na chuva de terça-feira, 10, o sistema de drenagem da Rua Albuquerque não suportou o volume d’água, transbordou, inundando casas localizadas na região, próximo à Avenida General Dutra.

 

O caso foi acompanhado de perto pelo secretário de Infraestrutura, Habitação e Serviços Públicos, engenheiro Luiz Mário Preza Romão que, junto com sua equipe técnica, iniciou um levantamento no trecho, para detectar o problema que causou transtornos aos moradores daquela localidade, no Bairro Maria Leite.

 

Esta manhã uma equipe da Prefeitura retornou ao local para vistoriar a galeria existente na Albuquerque com a General Dutra. O resultado não foi nada animador: uma placa de aço de 2,5 metros por 1,0 de largura foi retirada do interior da galeria. Ela estava interrompendo a passagem da água de chuva, retendo uma grande quantidade de lixo (pneus, galhos, restos de podas e roçadas, garrafas pets, entre outros), que acabou ocasionando forte pressão, estourando bocas de lobos e inundando casas nas imediações.

 

O engenheiro da Prefeitura, Gerson da Costa Melo, acompanhou os trabalhos pela manhã e se surpreendeu com a grande quantidade de entulho retirado do interior da galeria, e principalmente com a enorme placa de aço. “Tudo isso é resultado de uma imprudência da própria população que acaba jogando lixo e todo tipo de material nas galerias. É preciso haver maior conscientização de todos, para que isto não ocorra mais”, pregou.

 

Enquanto os funcionários retiravam grande quantidade de entulho do local, o engenheiro comentou que, durante a chuva da terça-feira, “não foi a galeria que não suportou o volume d’água. O que contribuiu para ocorrer as inundações de casas e da própria rua, foi tudo isto aqui que a população acaba descartando de maneira errada”, disse, apontando para a grande quantidade de entulho retirado da galeria onde a equipe trabalhava, principalmente para a placa de aço: “ela foi colocada na galeria por alguém, não nasceu ali”, completou.

 

Enquanto esta equipe desobstruía a galeria, fiscais do Código de Posto e também do Meio Ambiente, iniciavam uma fiscalização em todo o trecho. O objetivo era notificar procedimentos irregulares que estão causando problemas de entupimento nas galerias, bem como despejo de produtos nocivos à saúde pública e ao ambiente.