Encontro no Nação Guató marca os 10 anos do Programa Bolsa Família

Um encontro nesta terça-feira, 26, vai marcar os 10 anos de implantação do Programa Bolsa Família. O evento, que vai reunir as famílias beneficiadas de Corumbá será às 18 horas, no Centro Popular de Cultura, Esporte e Lazer “Nação Guató”.

 

A realização é da Prefeitura de Corumbá e está sendo organizado pela Secretaria de Assistência Social e Cidadania. O evento contará ainda com as participações de equipes da Caixa Econômica Federal e marcará a entrega dos cartões do Bolsa Família aos novos beneficiários do programa.

 

De acordo com o Censo de 2010, a estimativa em Corumbá em relação às famílias de baixa renda com perfil Cadastro Único era de 10.904, e de famílias com perfil Bolsa Família, 7.166.

 

Hoje o município apresenta uma cobertura cadastral que supera as estimativas oficiais. Já são 12.558 famílias inseridas no Cadastro Único, que é a porta de entrada para o Brasil sem Miséria. O município apresenta ainda uma cobertura de 90,48% de famílias beneficiárias do Bolsa Família, com um total de 6.484 beneficiários.

 

O Programa

 

Criado em 2003 para aliviar a extrema pobreza e combater a fome no Brasil, o Bolsa Família atende hoje a 13,8 milhões de famílias brasileiras, acompanhando a saúde e a educação das crianças. É reconhecido como o maior programa de transferência de renda do mundo, fundamental no fortalecimento da rede de proteção social e no combate à pobreza.

 

O Bolsa Família tem como inovação o condicionamento da transferência de renda a compromissos assumidos pelas pessoas beneficiadas. O poder público oferece e acompanha o acesso das famílias aos serviços de saúde, educação e assistência social.

 

Em contrapartida, as famílias precisam manter crianças e adolescentes na escola e garantir o calendário de vacinação de meninos e meninas menores de 7 anos. Além disso, as gestantes têm de fazer pré-natal e ir à rede de saúde para o acompanhamento pós-parto.

 

O programa reforça o desenvolvimento das crianças, permitindo a ruptura do ciclo de pobreza entre gerações de famílias. Além disso, o Bolsa Família dá ao governo condições de priorizar a população mais vulnerável nas políticas sociais.

 

Desde 2011, quando foi criado o Plano Brasil Sem Miséria, a meta é que nenhum brasileiro viva com menos de R$ 70 por mês. Esse plano foi estruturado em três eixos: garantia de renda, inclusão produtiva e acesso a serviços.

 

Hoje o Bolsa Família é sinônimo de Política Pública de Estado e o impacto na vida econômica e social do país é visível pela melhoria de diversos indicadores.