Arquivo Público Estadual levanta documentos históricos de Corumbá

Uma equipe da Fundação de Cultura do Estado iniciou levantamento dos documentos históricos existentes nas repartições públicas do Município e do Governo Federal, em Corumbá. O trabalho faz parte do projeto “Inventário dos Acervos Documentais da História dos Municípios e do Estado de Mato Grosso do Sul”, desenvolvido pelo Arquivo Público Estadual.

 

O levantamento tem apoio da Biblioteca Pública Estadual “Isaias Paim”, e visa registrar, por meio de um inventário, documentos considerados de conteúdo histórico em todo o Mato Grosso do Sul, desde a fundação da primeira vila, aos registros das administrações atuais.

 

Na quarta-feira, 23, as historiadoras do Arquivo Público, Lira Dequech e Áurea Coeli, e o bibliotecário Fábio Queirós, da Biblioteca Pública Isaias Paim, se reuniram com a diretora-presidente da Fundação de Cultura, Márcia Rolon, quando o assunto foi amplamente abordado. No encontro, Márcia colocou a equipe da Fundação à disposição do grupo, para o levantamento.

 

“A razão principal deste projeto é garantir a preservação dos acervos documentais históricos que permaneceram no Mato Grosso do Sul, após a divisão do Estado, assim como, garantir a preservação dos documentos recentes”, explicou Lira Dequech.

 

Segundo ela, Corumbá tem uma grande importância histórica para o estado, o que justifica a necessidade de preservar esses documentos, sem se esquecer que os documentos que atuais também são importantes. “No futuro eles também contarão parte dessa história”, explicou.

 

O primeiro passo será a criação de uma comissão de avaliação de documentos, para, em seguida ser definida uma tabela que especificará as prioridades dos documentos, levando-se em consideração os anos em que foram produzidos, para então ser iniciado o trabalho de reorganização e salvaguarda dos mesmos.

 

No encontro, a historiadora adiantou que o Arquivo Público vai estimular a adoção de políticas de preservação dos bens patrimoniais, como a criação de Arquivos Municipais ou outro equipamento cultural cabível, bem como a produção historiográfica regional.

 

“Após inventariar a massa documental, registrar e publicar a relação do material levantado, os documentos serão revelados ao público e a responsabilidade de guarda assumirá um peso maior. Acredito que esta ação irá garantir uma atitude de preservação dos acervos”, adiantou Lira Dequech, que é coordenadora do projeto.

 

Segundo Márcia Rolon, o trabalho, para ter um resultado altamente positivo, deve ser realizado em parcerias. “Vamos precisar da ajuda de todas as pastas da administração municipal e órgãos do Governo Federal instalados na cidade, para que todos os documentos com cunho histórico sejam preservados da maneira correta, para que assim, possamos ter o nosso Núcleo de Arquivo e Memorando Público de Corumbá”, ressaltou.