Seminário aborda Humanização da Saúde na Macrorregião de Corumbá

Trabalhadores em saúde do município de Corumbá estão reunidos neste dia 23 de setembro, durante o I Seminário em Saúde da Macrorregião de Corumbá, realizado através da Prefeitura Municipal de Corumbá, por meio da Secretaria de Saúde, no Centro de Convenções do Pantanal. Formulado em 2003 pelo Ministério da Saúde, o conceito de humanização ter por objetivo qualificar práticas de gestão e de atenção em saúde através de novas atitudes que atingem trabalhadores, gestores e usuários do SUS (Sistema Único de Saúde).

 

Em Corumbá, o evento busca superar o tecnicismo e o mecanismo operacional, ampliando a abordagem interdisciplinar nas dimensões do cuidado, com ênfase na prestação de uma assistência humanizada e acolhedora, como peças fundamentais na construção qualitativa do SUS.

 

“A gente precisa começar a destrinchar essa situação entendendo o outro: ou o profissional, ou o usuário, ou o gestor como um componente a mais nesse conjunto de discussão. Quando nós falamos que algo não está bom, não está bom pra quem, por que e qual é a possibilidade de melhora que temos? É toda uma rede de situações que temos que trazer pra discussão sem melindre, é algo que vai somar ao nosso pensamento e encontrar a melhor alternativa à questão colocada”, falou Fátima Rezende, consultora do Ministério da Saúde, que abriu o ciclo de palestras do seminário.

 

Presente no evento, o prefeito Paulo Duarte destacou as ações que sua gestão vem tomando para a melhoria da saúde no município. “Estamos reformando as unidades de saúde, vamos retomar a reforma do Pronto-Socorro, sabemos que precisamos fazer isso. Semana passada, visitei, com a secretária de Saúde, várias unidades que estão com obras em andamento porque queremos efetivamente melhorar a qualidade do serviço público”, disse.

 

Entretanto, Paulo pontuou que não apenas investimentos estruturais são necessários para a saúde. O chefe do executivo frisou o papel fundamental que os funcionários desempenham para o aprimoramento desse setor.

 

“Queremos efetivamente deixar um legado em relação às pessoas, a importância que tem o trabalho que vocês desenvolvem. Vocês não têm noção da importância que tem e da conseqüência que há quando não estamos devidamente preparados e equipados para atender a população. Quero pedir que façamos um pacto pelo bem da saúde corumbaense que depende de uma série de parceiras, mas fundamentalmente de uma relação franca e aberta entre o Poder Público e quem está na ponta”, disse ao se dirigir aos funcionários da saúde.

 

“Embora todas as dificuldades que temos, possuímos certeza absoluta que vamos vencer esse desafio em ter uma saúde de qualidade, da qual a gente possa se orgulhar, uma saúde humana. Vamos investir em novas unidades, equipamentos, mas temos que investir em seres humanos porque são as pessoas que tocam o dia-a-dia. São as pessoas que estão dentro das unidades conversando por isso todos são importantes, desde a pessoa que limpa a unidade até o maior especialista em determinada área”, analisou.

 

O evento segue com palestras e discussões, entre elas, a da Dra. Ângela Guidoneri, médica e assessora da Secretaria de Saúde de Volta Redonda, que relatará a experiência inovadora do município fluminense. O representante da Fiocruz, André Guerrero, falará sobre a integralização das Políticas Públicas. A experiência do estado de Mato Grosso do Sul será abordada por Irmã Macário. O seminário conta ainda com a exposição de banners sobre trabalhos de humanização em unidades de saúde do município.