Expedição apresenta projeto da rota bioceânica e segue para o Chile

O projeto da “Rota da Integração Latino-Americana – Unindo Povos, Ligando Oceanos” foi apresentado na noite de sexta-feira, 27, ao prefeito Paulo Duarte e logo nas primeiras horas da manhã desse sábado, a expedição segui rumo ao porto de Iquique, no Chile. O encontro de Duarte com o grupo foi no Centro de Convenções do Pantanal de Corumbá Miguel Gómez, e contou com as presenças também da vice-prefeita e diretora-presidente da Fundação de Cultura, Márcia Rolon, além de secretários municipais e autoridades civis e militares.

 

A expedição é integrada por um grupo de 90 pessoas que estão percorrendo cerca de 2,7 mil quilômetros, de Campo Grande a Iquique. São empresários do segmento de transporte e produção e a viagem foi organizada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Carga e Logística de Mato Grosso do Sul (SetLogMS), com apoio de 30 caminhonetes Volkswagen Amarok. Após deixar Corumbá eles passam por Santa Cruz, Cochabamba e La Paz, na Bolívia, até alcançar os portos chilenos de Arica e Iquique.

 

O projeto tem a necessidade de avançar no processo de integração entre os países latino-americanos, com o objetivo de consolidar as relações naturais e comerciais entre os mesmos, de forma a estabelecer um novo padrão estrutural com sólidos benefícios às regiões envolvidas no projeto, criando corredores de comércio, por meio dos transportes, elevar as condições de acesso de produção e produtos a todo um núcleo social integrado de países, dando uma nova configuração ao perfil geopolítico do centro oeste brasileiro e todos os países com que delimita suas fronteiras.

 

A principal vantagem será a redução no custo do transporte. O Brasil gasta até dez vezes mais do que os norte-americanos no transporte de soja para a China.

 

“O novo corredor favorecerá também o comércio bilateral, estimulando a integração entre os países. A melhoria da infraestrutura beneficiará toda a cadeia logística, com a expansão de consumo e a redução nos custos de transporte e com aumento de competitividade”, explicou Cláudio Antônio Cavol, presidente do SetLogMS.

 

Ainda de acordo com Cláudio Cavol o corredor rodoviário é a alternativa para facilitar o escoamento da produção do setor agrícola e viabilizar o aumento da exportação, não apenas de grãos, mas de diferentes produtos brasileiros. “Percorrendo o Brasil, Bolívia e Chile, a nova rodovia liga o Atlântico ao Pacífico. Com a utilização da nova via, a comercialização internacional de grãos poderá atingir 135 milhões de toneladas, boa parte produzida no Centro Oeste”.

 

Crescimento da Economia

 

Para o prefeito Paulo Duarte, a criação dessa rodovia facilitará o crescimento da economia brasileira dando maior vazão aos produtos para o mercado externo. “Agora passamos a ter atitudes concretas com a criação dessa rota e com isso teremos o encurtamento da distância e o desenvolvimento da economia”, explicou o prefeito para, em seguida, já projetar a necessidade de uma maior infraestrutura em Corumbá.

 

“Com a implantação dessa rota, teremos que criar um novo anel viário para que suporte toda a movimentação que teremos daqui a alguns anos”, ressaltou. Para o Chefe do Executivo corumbaense, o projeto é extremamente importante para Corumbá. E é por isto que o grupo está contando com apoio da Prefeitura, que reuniu empresários, além de autoridades civis e militares, para receber a comitiva, e conhecer detalhes do projeto.

 

Nesse sábado, a caravana segue para Santa Cruz, na Bolívia, chegando à cidade no período da tarde. Estão previstas reuniões políticas e visitas à Expocruz. No domingo, o grupo deixa Santa Cruz com destino a Cochabamba, também na Bolívia, onde pernoita, prosseguindo viagem no dia 30, segunda-feira, para La Paz, capital boliviana.

 

A viagem prossegue no dia 1º de outubro quando a caravana segue nas primeiras horas da manhã para Arica, no Chile, onde se reúne com autoridades locais. No dia 2, o destino é Iquique, também no Chile, onde a equipe encerra o percurso da rota, com uma rodada de reuniões com autoridades locais.

 

O retorno ao Brasil acontece no dia 03 de outubro. O percurso total, ida e volta, Campo Grande – Iquique – Campo Grande, é de 5.514 quilômetros.