Para conhecer melhor o turista, Corumbá lança o Observatório do Turismo

A administração municipal, por meio da Fundação de Turismo do Pantanal (FUNDTUR/Pantanal), está inaugurando uma ação fundamental para a melhoria da oferta dos produtos, serviços e infraestrutura turística de Corumbá. É o Observatório do Turismo do Pantanal de Corumbá, grupo formado por cinco profissionais que irão à campo de segunda a sexta-feira a fim de proporcionar analise e dados do segmento turístico de Corumbá para coletar e tabular informações e dados estatísticos sobre o trade turístico e a atividade na Capital do Pantanal.

 

Eles estarão nos portões de entrada da cidade, no Buraco das Piranhas, na Estrada Parque, na região fronteiriça, no Porto Geral, na Rodoviária Municipal e Aeroporto e em outros pontos estratégicos de entrada e saída de turistas e de grande circulação e concentração daqueles que visitam e trabalham no trade do setor. “A ideia é conhecermos o perfil do turista, quem ele é, qual a faixa etária, motivação da viagem, qual o gasto médio e como ele avalia nossa infraestrutura e serviços”, resume o coordenador do Observatório do Turismo do Pantanal de Corumbá, Ronan Xavier Machado, que está à frente dos quatro técnicos que atuarão em campo nessa coleta, alunos de Administração e Economia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e do Santa Tereza.

 

Primeiros dados

 

As primeiras informações sobre o turismo já foram apuradas e a ideia é que os boletins sejam divulgados bimestralmente. Um total de 4206 fichas foram preenchidas. Trata-se da Ficha Nacional de Registro de Hóspedes (FNRH), que contém itens como gênero, idade, grau de escolaridade, ocupação, motivo de viagem, meio de transporte utilizado, tempo de permanência e origem do visitante.

 

De acordo com o preenchimento das FNRHs, 72,13% dos turistas são homens e 27,87% mulheres, sendo 66,5% desse total acima dos 31 anos.  No quesito ocupação, verificou-se certo equilíbrio entre os hóspedes, destacando-se os profissionais liberais acima dos 28%, e acima de 16% entre autônomos e servidores públicos, mesmo percentual, ressaltando que em menor expressão também apresentam aposentados, estudantes e profissionais do lar.

 

Reafirmando nosso município como destino turístico, o qual representa o maior quantitativo entre os visitantes (acima de 31% apontaram o turismo como motivação para a viagem realizada) também estão os que vieram à Corumbá para negócios e trabalho, 22,93%. A motivação de viagem a negócios e trabalho é considerado Turismo de Negócio. Dos que estiveram em Corumbá neste ano, 54,32% foram motivados pelo Turismo de Lazer e de Negócios. Pouco mais de 45% dos visitantes dividiram-se entre as categorias de estudo, saúde, esporte, religião e visita aos familiares.

 

Quando indagados sobre o meio de transporte utilizado para chegar a Corumbá, a grande maioria dos visitantes respondeu o automóvel, acima de 34%, confirmando a potencialidade de investimentos em outros meios que ligam Corumbá ao Brasil.

 

No quesito origem do visitante e tempo de permanência, quase 40% dos visitantes realizaram ao menos um pernoite em Corumbá, movimentando a economia e gerando fluxo monetário, sendo que mais da metade dos visitantes que preencheram as fichas são da região Centro-Oeste, seguidos de aproximadamente 20% oriundos da região Sudeste, além da presença de 7,42% de visitantes sulistas e demais hóspedes da região Norte, Nordeste, Noroeste e 4,97% de turistas estrangeiros.

 

Em novembro, o Observatório, ligado à FUNDTUR/Pantanal divulga seu primeiro boletim. O objetivo, aliás, é soltar boletins bimestralmente sobre o turismo em Corumbá. “O objetivo é permear e auxiliar na tomada de decisões no âmbito político e empresarial, ao se tratar de investimentos, já que serão coletados números importantes da atividade turística no município”, diz Hélènemarie Dias Fernandes, diretora-presidente da FUNDTUR/Pantanal. “A partir desses dados, Corumbá pretende montar uma estrutura organizacional mais eficiente e se preparar para receber cada vez melhor o turista”, acrescentou.