Microprojeto Pantanal: artistas tiram suas dúvidas sobre o programa

O assessor especial da presidência da Funarte, José Maurício Moreira, se reuniu com  artistas e produtores culturais de Corumbá para esclarecer detalhes sobre o edital do programa “Mais Cultura: Microprojeto Pantanal” que vai contemplar 48 projetos nas áreas de artes visuais, circo, dança, teatro, música, literatura, audiovisual, artes e expressões populares, e moda.  Os prêmios são de R$ 15 mil para cada contemplado.

O programa Microprojetos visa descentralizar os recursos na área cultural e interiorizar as ações da Funarte e do Ministério da Cultura, além de contribuir para a fixação da mão de obra local.

O Microprojeto Pantanal tem disponível R$ 720 mil de incentivos para ser dividido entre os 16 municípios da região: Corumbá, Aquidauana, Bodoquena, Coxim, Ladário, Miranda, Sonora, Porto Murtinho, Rio Verde de Mato Grosso, todos no Mato Grosso do Sul, e Barão de Melgaço, Cáceres, Itiquira, Lambari D’Oeste, Nossa Senhora do Livramento, Poconé e Santo Antonio de Leverger, no Mato Grosso.

Os projetos desenvolvidos pelos artistas devem focar ações culturais de baixo custo para jovens de 18 e 29 anos e devem ser desenvolvidas durante aproximadamente 08 meses. Cada artista pode inscrever apenas um projeto.

Outro fato importante colocado pelo assessor da Funarte se refere à descrição do projeto. “Não podemos esquecer que, dos R$ 15 mil de premiação, tem o desconto do imposto. Por isso, na verdade, os contemplados receberão aproximadamente R$ 11.600,00. Outro fator importante é colocar bem discriminado o uso do dinheiro. Saber dar a importância adequada para cada item é importante”.

Para o artista Franklin Melo, o incentivo da Funarte é magnífico. “O projeto vai ao encontro do Plano de Cultura que a Prefeitura está implementando na cidade, além de dar maior visibilidade aos artistas pantaneiros, que terão oportunidade de serem conhecidos no Brasil e, principalmente, vai permitir descentralizar os recursos da área da cultura”.

A diretora-presidente da Fundação de Cultura, Márcia Rolon, considerou a reunião com os artistas excelente. “Como os próprios artistas colocaram, ter alguém da Funarte para explicar o edital foi de grande valia”, disse a vice-prefeito, já informando que o presidente da Funarte, o ator e diretor de teatro Guti Fraga, vira a Corumbá para a entrega da premiação dos microprojetos. “Será uma oportunidade para ele conhecer a nossa cidade”, comemorou.

Cidade encanta

José Maurício se mostrou encantando com a cidade e acabou confessando que o “Pantanal é a menina dos olhos da Funarte”, e para a instituição “Corumbá é a capital do Pantanal”.

“Hoje eu pude conhecer um pouco mais da cidade e estou realmente encantando com as belezas que possui. É muito importante um município contar com uma fundação cultural. Já visitei muitas cidades onde a cultura é tratada junto com outra pasta, como educação ou até mesmo com o esporte. E ver que Corumbá tem essa pasta e ainda mais quando a responsável por ela é a vice-prefeita, e sentir que ela gosta da cultura, é de extrema importância para uma cidade que é berço de tanta beleza e história”, disse o assessor.