Grupo Giramundo apresenta teatro de bonecos no domingo, em Corumbá

Giramundo, o mais importante grupo de teatro de bonecos do Brasil, se apresenta pela primeira vez em Corumbá, com a peça “O carnaval dos animais”. Será no domingo, 18 de agosto, às 19h, no estacionamento do Centro de Convenções do Pantanal Miguel Goméz. A entrada é gratuita.

 

O projeto Teatro Móvel Giramundo, traz o encanto proporcionado pelos bonecos e também a Orquestra da Escola de Música de Nova Lima (MG), que executará toda a trilha da peça ao vivo.

 

Na peça “O Carnaval dos Animais”, o grupo utiliza a requintada técnica de animação de marionetes a fio. Estará no palco a maior coleção de marionetes reunida em uma peça do repertório do Giramundo.

 

O enredo aborda a decisão do Rei Leão de dar uma festa na floresta. Ele convida todos os animais, no entanto, inexplicavelmente, proíbe a entrada de animais de boca grande.

 

A decisão gera conflito com alguns animais que, revoltados, usam artifícios e expedientes para participarem da confraternização, causando enorme alvoroço. A peça foi inspirada na obra composta pelo francês Charles Camille de Saint-Saëns no século XIX.

 

Para a diretora-presidente da Fundação de Cultura, vice-prefeita Márcia Rolon, o espetáculo em Corumbá é uma grande conquista. “Agora conseguimos trazer um teatro móvel que está percorrendo 22 municípios brasileiros que não fazem parte do circuito cultural. E isso vem ao encontro da nossa idéia de levar a cultura para todas as pessoas, fomentando a arte na região”, explicou.

 

O espetáculo usa como palco um caminhão com carroceria adaptada, que permite apresentações de grande qualidade técnica mesmo em regiões sem infraestrutura para eventos deste gênero.

 

As cidades que já foram ou serão visitadas são Sarzedo, Rio Acima, Belo Horizonte, Catas Altas, Santa Bárbara, Vitória (ES), Conselheiro Lafaiete, Brumadinho, Itabirito, Corumbá (MS), Mariana, Ouro Preto, Caeté, Itabira, Barão de Cocais, São Gonçalo do Rio Abaixo, Barbacena, Belo Vale, Rio Piracicaba, Raposos e Congonhas.

 

Outro ponto importante do Teatro Móvel é a possibilidade de remontar espetáculos do repertório do grupo. Já foram reencenadas seis peças: “Um Baú de Fundo Fundo”, “A Bela Adormecida”, “O Carnaval dos Animais”, “Auto das Pastorinhas”, “Giz” e “Pedro e o Lobo”. O processo permite a restauração de bonecos, de figurinos e de estruturas cênicas, além de atualizações e inclusões de técnicas.

 

Giramundo

 

O Giramundo é um dos poucos grupos brasileiros dedicados exclusivamente ao Teatro de Bonecos. Foi fundado em 1970 por três artistas plásticos da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais e tem Álvaro Apocalypse como diretor.

 

O grupo, desde então, dedicou-se à pesquisa, preservação e produção do Teatro de Bonecos em suas mais variadas formas. Deste modo, acumulou como resultado de seu trabalho ininterrupto, a maior coleção privada de marionetes das Américas, somando aproximadamente 850 bonecos.

 

A formação acadêmica e plástica de seus fundadores imprimiu ao grupo, um rigor metodológico na implantação de seus projetos por um lado, e um refinado cuidado na construção e acabamento de seus bonecos, por outro.

 

Estas características, unidas ao interesse claro pela cultura brasileira como tema central de sua dramaturgia, trouxeram reconhecimento nacional ao grupo, garantindo seu lugar na história do Teatro Brasileiro.

 

Com a contribuição do Giramundo, o Teatro de Bonecos do Brasil supera a condição de teatro exclusivamente infantil para ganhar formas e temas adultos, dialogando com questões formais, estéticas e políticas complexas.

 

Os projetos especiais do Giramundo contemplam ainda produções em cinema e vídeo, edição de livros, criação de espetáculos educativos, produção de cds musicais e cd rom, pesquisas para a produção de teatros populares de baixo custo e desenvolvimento de palcos móveis capazes de circular pelo Brasil. Todas estas atividades visam ampliar o raio de atuação do Teatro de Bonecos como linguagem educativa e sensibilizadora e garantir ao grupo condição de auto sustentabilidade.

 

A apresentação é uma realização do Governo Federal, por meio do Ministério da Cultura, e faz parte da Lei de Incentivo à Cultura. Conta com apoio da Prefeitura Municipal, por meio da Fundação de Cultura, e patrocínio da Vale.