Entrevistadores do Cadastro Único recebem treinamento em Corumbá

A Prefeitura de Corumbá está capacitando a equipe que será responsável pela realização das entrevistas do Cadastro Único (CadÚnico) para Programas Sociais do Governo Federal. A primeira etapa aconteceu agora em agosto, e foi desenvolvida pela Secretaria de Assistência Social e Cidadania, pasta responsável pela coordenação dos programas no Município.

 

A capacitação foi ministrada pela instrutora e coordenadora municipal do Cadastro Único, Leatrice de Castro, e contou com a presença da equipe técnica dos Centros de Referência de Assistência Social, entre técnicos administrativos, assistentes sociais, psicólogos e integrantes das equipes volantes, visando garantir a qualidade das informações registradas pelo município no CadÚnico.

 

De acordo com a secretária Andrea Ulle, o grupo será formado por 50 novos entrevistadores, distribuídas em duas turmas. “Mais do que uma base de dados, o CadÚnico facilita o acesso de cada pessoa cadastrada às políticas públicas que melhoram suas condições de vida. É muito importante que os entrevistadores estejam devidamente habilitados para essa tarefa, garantindo que a entrevista seja conduzida de maneira padronizada, baseada em conceitos uniformizados e compartilhados, e que a abordagem das famílias seja feita com atenção e respeito, refletindo a realidade das famílias cadastradas’, afirmou.

 

A primeira capacitação aconteceu no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS I), do bairro Centro América. André revelou que, em setembro, a Prefeitura realiza a capacitação da segunda turma.

 

CadÚnico

 

O Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal é um instrumento que identifica e caracteriza as famílias de baixa renda, entendidas como aquelas que têm renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa ou renda mensal total de até três salários mínimos.

 

Permite conhecer a realidade socioeconômica dessas famílias, e identificar seu grau de vulnerabilidade, trazendo informações de todo o núcleo familiar, das características do domicílio, das formas de acesso a serviços públicos essenciais e, também, dados de cada um dos componentes da família. Com isso pode-se ter uma visão mais aprofundada de alguns dos principais fatores que caracterizam a pobreza, o que permite delinear políticas públicas de proteção social voltadas para essa população.