Corumbá promove ação para diagnóstico precoce do câncer infanto-juvenil

Seu filho está com perda de peso, palidez inexplicada, manchas roxas, sangramento pelo corpo sem machucado ou uma febre prolongada de causa não identificada? Ele vomita e sente dor de cabeça e apresenta diminuição da visão ou perda de equilíbrio, dores nos ossos com ou sem inchaços? Se sua resposta foi ‘sim’ a alguma dessas perguntas é prudente levá-lo ao pediatra para a realização de alguns exames, afinal esses são alguns tipos de sintomas do câncer infanto-juvenil.

 

Um câncer detectado precocemente em uma criança ou adolescente de 0 a 19 anos amplia drasticamente a possibilidade de cura e de sobrevivência. A frase pode parecer óbvia, mas quando o assunto é oncologia infantil, o difícil diagnóstico e o desconhecimento de uma série de sintomas e procedimentos faz do câncer infanto-juvenil a maior doença em causa mortis do Brasil.

 

Com o objetivo de levar informação e conhecimento aos profissionais da saúde de Corumbá, a Associação dos Amigos das Crianças com Câncer de Mato Grosso do Sul (AACC/MS) realiza, em parceria com a prefeitura e a Secretaria da Saúde, nos dias 6 a 8 de agosto, a capacitação “Fique de Olho, pode ser câncer infantil”.

 

Voltado a pediatras e agentes da Estratégia da Saúde da Família, o objetivo é capacitar médicos, dentistas, fisioterapeutas, enfermeiras e técnicos em enfermagem sobre os principais sinais e sintomas associados aos tipos mais comuns da doença em crianças e adolescentes. Uma vez capacitados, eles podem agilizar o processo de diagnóstico e encaminhamento desses pacientes para centros especializados no tratamento da doença.

 

“Com ações como essas no Estado, nos últimos cinco anos houve uma redução de 30% no tempo entre os primeiros sintomas e o diagnóstico do câncer, o que não só aumenta bastante as chances de cura da criança como também reduz muito a intensidade do tratamento”, explica o doutor Marcelo dos Santos Souza, médico oncologista responsável pelo treinamento em Corumbá.

 

Felizmente, a relação entre essa redução do tempo e a taxa de cura tem se mostrado inversamente proporcional. De acordo com o médico, mais de 1000 crianças e adolescentes já foram atendidos pelo AACC/MS e, graças não só ao diagnóstico preciso e precoce, como também ao suporte e tratamento terapêutico adequado e apoio psicológico e social, a taxa de cura hoje no Estado se aproxima de 67%. “Há uns 15 anos, quando a instituição foi fundada, esse nível de cura era praticamente de 0%”, diz.

 

Apesar de estar sediada em Campo Grande, a AACC já realizou a capacitação sobre câncer infantil em 26 municípios de Mato Grosso do Sul. Segundo o doutor Marcelo Souza, essa iniciativa se justifca pois cerca de 70% das crianças e adolescentes atendidos pela instituição na capital do estado vem de cidades do interior, como Corumbá. “Além das palestras informativas, deixamos cartilhas e outros materiais impressos com os profissionais da saúde de cada cidade e até banners com o fluxograma de diagnóstico dos principais tipos de câncer para esses médicos afixarem na parede dos consultórios e locais de atendimento”, acrescenta.

 

Nesta terça-feira, o evento contou com a presença de alguns médicos e dentistas da rede pública municipal. Na quarta-feira e quinta-feira, 7 e 8 de agosto, será a vez dos agentes de saúde, enfermeiros e técnicos em enfermagem, sempre no Centro de Convenções Miguel Gómez do Pantanal, no Porto Geral de Corumbá.

 

Uma segunda etapa da capacitação será realizada entre os dias 10 e 12 de setembro no mesmo local.

 

Mais informações na Secretaria de Saúde de Corumbá pelo telefone 3234-3482 ou na AACC pelo telefone 3322-8000.