Prefeito garante fortalecimento de políticas para mulheres do campo e ribeirinhas

Dona Fátima, Dalva, Nilza, Bernardina, Maria do Carmo, todas elas, mais de 100 mulheres, estiveram nesta terça-feira, 23, no Fórum Regional das Mulheres do Campo e Ribeirinhas, promovido pela prefeitura de Corumbá por meio da Secretaria de Ação Social e Cidadania.

 

Vindas de longe (algumas a mais de 6 horas de voadeira), do Alto, Médio e Baixo Pantanal (regiões São Lourenço, Forte Coimbra e Taquari), dos assentamentos, zonas rurais, colônias de pesca, elas lotaram o salão do CRAS Centro América trazendo suas angústias, anseios, sugestões e contribuições na luta por mais justiça social e uma participação igualitária da mulher na sociedade. E para ouvir diretamente do prefeito Paulo Duarte o compromisso da atual administração com suas causas.

 

“Nestes sete meses de administração já estive no Paraguai-Mirim, nos assentamentos Taquaral e São Gabriel e visitarei outras regiões para ouvi-los de perto e encontrarmos, juntos, as soluções para todas as demandas. Queremos uma relação cada vez mais próxima com as comunidades ribeirinhas, os assentamentos, produtores rurais, pescadores, enfim, com todos”, disse o prefeito.

 

O prefeito disse também que o evento é importante para começar a discutir alguns temas importantes para as mulheres como planejamento familiar, maternidade responsável, gravidez na adolescência, violência doméstica e uma visão mais contemporânea da assistência social.

 

“Os programas sociais não devem servir de massa de manobra para obter votos ou coisa parecida, mas para incluir, garantir cidadania e participação popular, geração de renda, dignidade a todo cidadão, dar condições, por exemplo, para escoar e comercializar os produtos de vocês, que são de primeira qualidade”, acrescentou o prefeito, que não apenas garantiu a continuidade do Povo das Águas mas também o fortalecimento do programa que atende as comunidades ribeirinhas.

 

Segundo a secretária de Assistência Social e Cidadania, Andrea Cabral Ulle, o fórum deve ser realizado uma vez ao ano e contribuirá decisivamente para o estabelecimento de uma estrutura específica de políticas para a mulher. “A ideia é formar uma Secretaria Executiva, que fará parte da Gerência de Políticas Públicas para a Mulher, com representantes dos ribeirinhos, assentamentos, pescadores, enfim, de todas as áreas”, disse.

 

Durante o evento foram expostos os produtos, artesanatos, queijos, doces e embutidos produzidos pelos assentados e ribeirinhos, como a farinha de mandioca e puva da dona Fátima Margarida Amorim Brandão, que ministrou uma oficina de geração de renda para as colegas. “É uma alegria muito grande estar aqui mostrando um pouco do que sei com essas mulheres guerreiras e maravilhosas e, principalmente, mostrar que elas podem ter sua própria renda de uma maneira simples e prática”, disse a ribeirinha da região do Castelo, no Alto Paraguai.

 

O evento contou também com a apresentação da Orquestra Experimental do Campo, que faz parte do Projeto Música no Campo, com alunos da 2ª à 9ª séries da Escola Monte Azul, do assentamento Taquaral.