Centro de Convenções vai fomentar a produção cultural corumbaense

Por um prazo de 60 meses, o Centro de Convenções do Pantanal de Corumbá Miguel Gómez será administrado pelo Serviço Social do Comércio de Mato Grosso do Sul (Sesc/MS), que integra o Sistema Fecomércio. Ao assinar o termo de compromisso junto com o prefeito Paulo Duarte na manhã desta terça-feira, o presidente da Fecomércio, Edson Araujo, afirmou que o ato representou a concretização de um sonho da própria instituição, no sentido de buscar o desenvolvimento da cultura local.

 

“Vamos disponibilizar ações e serviços para fomentar a produção cultural e turística local. Vamos trabalhar juntos com a Prefeitura, por meio das Fundações de Turismo e de Cultura, estimulando inclusive a educação, visando a formação de um público mais preparado para atender a demanda”, destacou.

 

Araujo elogiou a atitude do prefeito Paulo Duarte em buscar parcerias para administrar o Centro de Convenções. “Ele (Paulo) demonstrou ter uma visão futurista. Ele foi fundamental para alavancar esta parceria. Fez o que precisava e demonstrou ser um grande parceiro”, revelou.

 

A proposta da nova administração do Centro de Convenções é trabalhar diversas linguagens artísticas, como, cinema, teatro, dança, exposição, contação de história estimulando a educação dos sentidos, formando um público mais preparado para a absorção de uma programação bem gerida, trabalhada e criativa.

 

Regina Ferro, diretora regional do Sesc/MS, disse se sentir gratificada em oficializar esta parceria com Corumbá, cidade reconhecida por ela própria como um celeiro cultural. Disse ser um “privilégio enorme” poder fazer parte de um trabalho pela conquista de uma melhor qualidade de vida da população, por meio da cultura, da educação, do turismo, do esporte, do lazer, da saúde, e de outras áreas em que o Sistema Fecomércio atua na cidade.

 

“O Sesc/MS, com esta parceria, contribuirá para tornar mais construtivo e criativo este fazer, promovendo mais qualidade de vida para a comunidade como um todo”, disse Regina, adiantando que a instituição irá atuar também em parcerias com órgãos como Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, e quaisquer outras entidades públicas ou privadas de serviço social.

 

O convênio firmado esta manhã cita que não haverá repasse de recursos entre os partícipes, reiterando o caráter assistencial e sem fins lucrativos do projeto. Tem validade por 60 meses, com atuação na assistência em relação aos problemas domésticos, (nutrição, habitação, vestuário, saúde, educação e transporte); providências no sentido da defesa do salário real dos comerciários; incentivo à atividade produtora; realizações educativas e culturais, visando a valorização do homem; pesquisas sociais e econômicas.