Prefeito abre a campanha de vacinação contra paralisia infantil

Na manhã deste sábado, 8, o prefeito Paulo Duarte abriu a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite em Corumbá. O ato aconteceu no Centro de Saúde da Ladeira, na Ladeira Cunha e Cruz. A imunização vai até o dia 21 de junho e a meta é vacinar 8.341 crianças de 6 meses a 4 anos e 11 meses e 29 dias. 

 

“Se cuidarmos bem das pessoas e trabalharmos cada vez mais na prevenção das doenças reduziremos os problemas”, disse o prefeito, que não só vestiu a camisa da campanha como também fez questão de ajudar vacinando pessoalmente algumas crianças que chegavam ao posto de saúde, como o pequeno Vinícius, de 2 anos.

 

A campanha está sendo coordenada pela Secretaria de Saúde e somente neste sábado, 8 (Dia D) está envolvendo mais de 200 profissionais. O trabalho prossegue até o dia 21 de junho e, por faixa etária, a meta é vacinar 998 crianças com 6 meses a menor de 1 ano; 1.996 com mais de 1 ano; 1.711 com mais de 2 anos; 1.751 com mais de 3 anos, e 1.885 com mais de 4 anos. Em agosto haverá um “reforço” para imunizar aquelas crianças que porventura ainda não tenham sido vacinadas por qualquer motivo.

 

É importante lembrar aos pais ou responsáveis pelas crianças, a necessidade de apresentar o cartão de vacinação. Outro detalhe é que, quem estiver internado em hospitais ou clínicas, somente receberá a vacina após a alta para evitar possíveis eventos adversos.

 

Projeto Cuidar

 

O prefeito aproveitou a ocasião para lembrar que os 68 estagiários do Projeto Cuidar, que ao longo desta semana passaram por treinamento, começam a trabalhar nas unidades de saúde à partir da próxima segunda-feira.

 

O projeto, desenvolvido pela prefeitura juntamente com a Secretaria de Saúde de Corumbá, tem a missão de aprimorar o atendimento aos usuários e pacientes de toda a rede de saúde municipal já na porta de entrada dos estabelecimentos e esses estagiários, universitários dos cursos de Enfermagem, Assistência Social e Administração, serão os responsáveis por esse acolhimento qualificado. Ao todo serão dois atendentes por unidade de atendimento. “A saúde só vai melhorar quando a mudança começar pela porta de entrada”.