Prefeitura e Coral trabalham em projeto de pintura de prédios históricos

As cores tem o poder de transformar uma paisagem, o comportamento das pessoas e até uma cidade inteira. Foi assim no Morro Santa Marta, no Rio de Janeiro, no Pelourinho, em Salvador, e tem tudo pra ser assim em Corumbá, cidade escolhida pela Tintas Coral para receber um projeto de revitalização promovido pela companhia.

 

Além do PAC das Cidades Históricas, a  administração municipal trabalha em parceria com a Coral em um projeto da fornecedora de tintas que visa pintar casas e prédios de importância histórica e arquitetônica para a cidade.

 

Na manhã desta quinta-feira, 16, dirigentes da empresa percorreram diversas ruas da cidade ao lado de representantes das fundações de Desenvolvimento Urbano e Patrimônio Histórico e de Turismo do Pantanal. De carro e à pé, eles fizeram uma visita técnica no Hotel Galileu, na Casa Massabarro, no Moinho Cultural e na Casa do Doutor Gabi, principais candidatos a receberem,  gratuitamente, a pintura e repaginada total na fachada.

 

Os representantes da empresa tiraram fotografias dos imóveis, fizeram perguntas, colheram informações e agora prepararão relatórios de cada um desses locais e os apresentarão em uma reunião interna com a direção da companhia. A regra é que somente um desses prédios seja o contemplado mas, segundo Flavio Linhares, coordenador de Trade-Marketing da Coral, para toda regra há uma exceção e existe a possibilidade de serem contemplados dois ou até mais imóveis no projeto de pintura.

 

“Tudo vai depender da conversa que teremos com a direção e pode perfeitamente haver consenso em contemplar mais do que um prédio, até pela relevância histórica, arquitetônica e para a cidade, de maneira geral”, disse. “O que posso adiantar é que existe uma simpatia da Coral em relação a Corumbá”, acrescentou.

 

Para Maria Clara Scardini, diretora-presidente da Fundação de Desenvolvimento Urbano e Patrimônio Histórico (FUPHAN), o projeto em questão é importante para Corumbá não apenas pelo seu caráter estético, mas também por sua função social. “Essa iniciativa da Coral vai ao encontro das nossas ações, de cuidar e preservar nosso patrimônio histórico e arquitetônico. Além disso, a empresa se dispõe a qualificar profissionais na pintura, com treinamento e diploma ao final do curso, o que suprirá uma demanda importante para a nossa cidade”, comemorou.

 

Maria adiantou também que o músico e compositor Almir Sater foi convidado para ser o padrinho de Corumbá na ação da Tintas Coral na cidade e se mostrou bastante receptivo à ideia.

 

Além dos casarios já citados, a comitiva da Coral visitou também o Porto Geral, a Vila dos Pescadores do Beira Rio, o Conjunto Residencial Eclético da rua Delamare, e os conjuntos Art Déco da Frei Mariano e da General Rondon. Essas localidades também podem ser contempladas em outras modalidades do programa de pintura da Coral.

 

A direção da Coral promete uma resposta entre o final de maio e início de junho.