Para prefeito, parcerias fortalecem a cultura e o turismo pantaneiro

O estabelecimento de parcerias, independente de siglas partidárias, está permitindo fortalecer cada vez mais a cultura e o turismo corumbaense. A opinião é do prefeito Paulo Duarte que participou na noite de ontem, ao lado do governador André Puccinelli, da solenidade de abertura da décima edição do Festival América do Sul, em Corumbá, que reúne 10 países latinos americanos, Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

 

A abertura foi feita pelo governador André Puccinelli, em ato que reuniu autoridades de todo o Estado, no Palco das Américas, local dos grandes shows, montado na Praça Generoso Ponce.

 

O prefeito Paulo Duarte lembrou o início de tudo, o primeiro festival. Foi em 2003, quando era secretário do Governo de Zeca do PT. “O Festival começou em um governo de um partido e está tendo continuidade em um governo de outro partido. Independente de questões de ordem partidária, esse é um evento que vai continuar por muito tempo, não importando que governo esteja na administração do Estado e do Município”, disse.

 

Paulo afirmou ter sido uma “honra participar e ser um dos interlocutores da primeira edição, ainda no governo de Zeca do PT. E assim vamos trabalhar juntos para desenvolver Corumbá em suas principais vocações, em especial a cultura e o turismo”, disse.

 

O prefeito se dirigiu ao governador André Puccinelli, lembrando as palavras da presidenta Dilma Roussef, que é do PT. Elam na segunda-feira, em Campo Grande, destacou a importância de administrar de forma integrada, independente de questões partidárias.

 

“Eleição tem dia, tem hora para acontecer. Até lá, vamos continuar trabalhando por Corumbá e o senhor pelo Estado”, enfatizou, lembrando que todos têm compromisso em administrar pelo povo. E é pensando desta forma que Paulo demonstrou certeza de que “virão mais benefícios. O senhor é sempre bem vindo a Corumbá”.

 

O prefeito corumbaense disse que esta parceria estabelecida no FAS, não só a nível de Poder Público, mas também envolvendo os grandes parceiros, só fortalecem o turismo e a cultura corumbaense, tornando-os uma referência. Ele fez um convite a André para reforçar a Campanha Nacional de Enfrentamento a Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, cujo Dia D de combate acontece em 18 de maio.

 

Antes de abrir oficialmente o Festival, o governador comentou que o evento permite integrar toda América Latina por meio da cultura. Disse que a cada ano as edições têm melhorado e mostrado a integração dos povos latino-americanos, e que vai continuar assim. “É uma festa alegre e tradicional, além de já estar consolidada no contexto cultural de Mato Grosso do Sul”, comentou.

 

Este ano, o Festival homenageia o Rio Paraguai e cinco pessoas que tem forte ligação com o maior rio pantaneiro e é considerado símbolo da integração e da cultura da região, palco central de manifestações religiosas e fonte do desenvolvimento econômico, social e cultural. “O Rio é parte integrada da cultura deste povo e representa todo desenvolvimento econômico conquistado no município”.

 

A solenidade reuniu autoridades de todo o Estado, como o deputado estadual Antonio Carlos Arroyo; os prefeitos José Antonio Assad e Faria (Ladário) e Leleco Brito (Bonito); vereadores corumbaenses e ladarenses; secretários estaduais e municipais, autoridades militares, além de representantes dos parceiros que apóiam a realização.

 

Homenagens

 

A abertura contou ainda com homenagens a personalidades da comunidade pantaneira: João de Arruda Pinheiro, pioneiro no transporte de carga, gado e pessoas em lanchas pelo rio; Wilson de Oliveira, acordeonista do grupo Alma Chamamezeira; Josefina Alves Ribeiro, símbolo da resistência cultural da etnia guató (em memória) (o filho Tomaz Alves Ribeiro recebeu a comenda); Ivone Torres, mentora da festa de São Pedro e Rubén Bareiro Saguier, ensaísta paraguaio e poeta que trata o rio Paraguai como grande tema de suas obras, único ausente.

 

O Festival é realizado pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio das suas fundações de Cultura e de Turismo, pelo Instituto Moinho Cultural e pela Prefeitura Municipal de Corumbá. O evento tem a curadoria compartilhada do Instituto Cervantes, de São Paulo, e patrocínio de empresas como a Petrobras, Vale, Andorinha, Sebrae e governo federal.