Pacto pela alfabetização discute caminhos para o letramento na Reme

Trabalhando para ser referência nacional em educação, a Prefeitura de Corumbá realizou na noite de segunda-feira, 17, o II Seminário do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Com o tema “Caminhos para o Letramento”, o evento reuniu 179 professores da Rede Municipal de Ensino (Reme), no auditório do anfiteatro Salomão Baruki.

 

Sob a coordenação da Secretaria de Educação, o seminário deu início com uma apresentação cultural feita pelos alunos da Escola Municipal Fernando de Barros. A turma do 9º ano apresentou um jogral com o famoso poema “José”, de Carlos Drummond de Andrade. Inspirados, os estudantes escolheram um dos textos capazes de suscitar importantes reflexões.

 

Valorizando o bom professor, aquele que tem o foco no aprendizado de seus alunos e que, assim, contribui efetivamente para a melhoria da qualidade da Educação no Brasil, a equipe do PNAIC preparou uma pequena homenagem aos profissionais. Juntos e animados, eles cantaram a música “Um bom professor, um bom começo”, tema da campanha “Todos pela Educação”.

 

Durante o encontro, a secretária de Educação, Roseane Limoeiro, explicou sobre a importância do seminário. “Todas as ações que são desenvolvidas pela nossa secretaria, são meios que irão proporcionar condições para que os professores qualifiquem melhor a sua prática e contribuam para a melhoria da aprendizagem do aluno”, declarou Roseane.

 

“Esse II Seminário fortifica e assegura a educação inclusiva e universal para todos. Um compromisso que a Prefeitura tem feito para melhorar a alfabetização, que vem se mostrando como um dos maiores desafios já enfrentados com relação à educação publica”, completou a secretária de Educação.

 

Para a coordenadora do PNAIC, Maria do Carmo Provenzano de Arruda Brum, o seminário vai ao encontro das propostas discutidas anteriormente em Campo Grande. “Nós vamos trabalhar sobre a evasão escolar e a questão da inclusão desses alunos” contou Maria do Carmo.

 

Ainda segundo ela, o pacto está sendo um sucesso e todos os meses, as seis turmas fazem 12 horas de estudos. “Nós sentimos a empolgação dos professores em participar do programa. Com a bolsa paga pelo MEC, eles investem em materiais que facilitarão o trabalho deles em sala de aula”, continuou.

 

A mesa redonda para debates contou com as participações da secretária Roseane Limoeiro da Silva Pires; Maria Aparecida Dias de Moura, gerente de Gestão de Políticas Educacionais; Anamaria Santana da Silva, e Mônica de Carvalho Magalhães Kassar, professoras da Universidade Federal de MS, e Milene Machado Ribeiro, professora mestre em Educação.

 

PNAIC

 

Em prática desde o mês de março, as ações do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), contemplam visitas às escolas, acompanhamento nas salas de aula, orientação aos professores, intervenção nos planejamentos pedagógicos, além da realização de fóruns, seminários e aulas presenciais com o objetivo de refletir e debater temas voltados para a alfabetização e o letramento.