Corumbá intensifica campanha de enfrentamento a violência sexual

A cidade de Corumbá realiza no sábado, 18 de maio, uma intensa ação para marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescente. Será uma campanha de divulgação e distribuição de material informativo, para conscientizar a sociedade sobre a necessidade de denunciar atos criminosos praticados contra a população infantil corumbaense.

 

A campanha será desenvolvida pela Prefeitura Municipal por meio da Secretaria de Assistência Social e Cidadania, durante a Ação Global realizada pelo Serviço Social da Indústria e Rede Globo, com apoio da Prefeitura e outros parceiros. O evento será das 8 às 17 horas, na Praça do Sesi, localizada na Alameda São José, no Bairro Maria Leite.

 

Os trabalhos serão desenvolvidos pelas equipes do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social). Além desta ação, a Prefeitura programou para a sexta-feira, 17, as 10 horas, uma blitz educativa na área central da cidade.

 

Sensibilização

 

As ações de combate à violência sexual contra crianças e adolescentes fazem parte de uma política adotada pelo Poder Público Municipal, com o intuito de mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade para participar dessa luta.

 

Os trabalhos foram intensificados a partir de março é vão até julho com rodas de conversa e palestras na região do Taquari e da parte alta do Rio Paraguai, nas ações do Povo das Águas; com os serviços socioassistenciais do município; mobilização da rede de proteção; capacitação para técnicos de todos os serviços socioassistenciais e agentes de saúde; palestras e discussão da temática em escolas municipais, estaduais e particulares, além de blitz em pontos estratégicos da cidade.

 

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescente foi criado em 1998, quando cerca de 80 entidades públicas e privadas, reuniram-se na Bahia para o 1º Encontro do Ecpat no Brasil, organizado pelo CEDECA/BA, representante oficial da organização internacional que luta pelo fim da exploração sexual e comercial de crianças, pornografia e tráfico para fins sexuais, surgida na Tailândia, o evento reuniu entidades de todo o país.

 

A data foi escolhida pelo fato de que, em 18 de maio de 1973, em Vitória-ES, um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Crime Araceli”, nome de uma criança de apenas oito anos, que foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, prescreveu impune.