Prefeito diz que ônibus entregues por Dilma vão atender a zona rural

Corumbá foi uma das cidades do Mato Grosso do Sul contempladas com ônibus escolares entregues na manhã desta segunda-feira, 29, pela presidenta Dilma Roussef. As chaves dos três veículos foram entregues pela própria presidenta ao prefeito Paulo Duarte, durante solenidade em Campo Grande que contou com as presenças do ministro da Educação Aloísio Mercadante; do governador André Puccinelli; do senador Delcídio do Amaral, além de outras autoridades.

 

“São os três primeiros ônibus entregues pela presidenta Dilma Roussef que serão destinados à Zona Rural, para atender os alunos das escolas localizadas nos assentamentos, principalmente”, afirmou Duarte. Conforme ele, os veículos vão reforçar a frota já existente na município.

 

Os veículos fazem parte do programa Caminho da Escola. Foram entregues 300 ônibus, um investimento de R$ 109 milhões. A presidenta Dilma Rousseff informou que outros 219 serão encaminhados diretamente aos municípios e Corumbá será atendida com mais dois que, conforme o prefeito, também irão para a zona rural.

 

“É um orgulho estar aqui e ver esta quantidade de ônibus, resultado de uma parceria entre o governo Federal, governo de Estado e os municípios. O programa Caminho da Escola é de grande importância para nós. Desde janeiro de 2011, quando assumi a Presidência da República, já foram entregues 558 ônibus para Mato Grosso do Sul para todos os 79 municípios, o que representa um investimento de R$ 119 milhões. Tenho uma atenção especial a este programa. Hoje, entregamos 300. O restante será entregue entre o final de 2013 e em 2014”, disse a presidenta.

 

Ainda em seu discurso, Dilma falou sobre dois assuntos de grande impacto para Corumbá: a questão portuária, que deverá receber grandes investimentos do Governo Federal, e também o problema dos voos domésticos, citando inclusive, Corumbá.

 

Para o prefeito Paulo Duarte isso demonstra o “interesse do Governo Federal em investir em áreas prioritárias para o desenvolvimento sócioeconômico de regiões como Corumbá, que precisam manter a regularidade dos voos domésticos para incrementar a área turística e despertar a sua vocação natural, bem como reestruturar seu porto para o escoamento da produção de minério, por exemplo”, comentou.