Prefeito cobra maior participação das grandes empresas no desenvolvimento

As grandes empresas instaladas em Corumbá devem ter uma maior participação no desenvolvimento da cidade. A cobrança foi feita na manhã desta quinta-feira, 25, pelo prefeito Paulo Duarte, durante a abertura do Fórum Regional de Desenvolvimento, Circuito Corumbá, que reuniu agentes e lideranças públicas, empreendedores, empresários e estudantes no Centro de Convenções do Pantanal de Corumbá Miguel Gómez.

 

Paulo Duarte foi o responsável pela primeira palestra da manhã. O foco foi justamente o “Desenvolvimento na perspectiva local”. Ele agradeceu o apoio que Corumbá e Ladário estão recebendo das entidades que compõem o Sistema “S” – Sebrae, Sistema Fiems (Sesi e Senai), Sistema Fecomércio (Sesc e Senac) e Sistema Famasul (Senar), mas foi crítico ao se referir às empresas responsáveis, por exemplo, pelos setores de logística e da mineração.

 

Lembrou que, em anos anteriores, um grande problema das duas cidades da região, era energia elétrica, o que já está sendo resolvido com a duplicação da linha entre Corumbá e Anastácio, que vai atender a área urbana de Corumbá e Ladário, “mas não na área rural”.

 

Outro gargalo apontado pelo prefeito está ligado diretamente à logística de transporte. “Temos dois diamantes mas em estado bruto: a hidrovia Paraguai – Paraná até Nova Palmira, no Uruguai, mas existem períodos em que não é navegável. Será que vamos deixar que aconteça aqui, o mesmo que aconteceu com o Taquari?”, indagou, se referindo à necessidade de dragagem de trechos para evitar assoreamento, “mas respeitando os aspectos ambientais”.

 

Já com relação à ferrovia, criticou a empresa responsável, a América Latina Logística (ALL), pelo estado precário em que se encontra a Rede Ferroviária na região. Paulo esteve reunido com a diretoria da ALL na semana passada, solicitando a recuperação da infraestrutura local, bem como a cedência da área ao Município, para implantação da Orla dos Ipês. Além disso, esta semana, encaminhou ofício à superintendência em Campo Grande, exigindo a limpeza de toda a área, no perímetro urbano.

 

“A ferrovia é outro gargalo que, hoje, está tristemente nas mãos da ALL, uma das maiores empresas do setor, mas que deixa nossa região na mão. Estive reunido com a diretoria na semana passada e esta semana encaminhei ofício para limpeza da área. Vou aguardar até sexta-feira. Se o local não for limpo, vamos recorrer à Justiça”, anunciou. “Se não consegue administrar a limpeza da área na região urbana, que será da ferrovia”, completou.

 

Mineradoras

 

Para o prefeito, solucionar o problema de logística de transporte, seria um passo importante para Corumbá e Ladário alcançar o desenvolvimento sustentável que todos almejam. Ele lembrou um encontro com empresários interessados em implantar uma indústria na cidade, para produção de trilhos, aproveitando a matéria prima local, o minério de ferro. “Não adianta uma grande indústria se não temos como exportar o produto”.

 

E é o setor mineral outra preocupação do prefeito corumbaense. Ele criticou as empresas instaladas na região por não cumprirem o seu papel com a comunidade, como deveriam. “É preciso haver um retorno maior para a cidade”, cobrou, para em seguida comentar que “é uma vergonha continuar somente com o extrativismo. Tem que agregar valor. Chega de levar o nosso minério bruto e enriquecer outras regiões”.