Geraldo Espíndola é uma das atrações do 10° Festival América do Sul

Geraldo Espíndola é uma das atrações musicais no primeiro dia do 10° Festival América do Sul (FAS). Músico, compositor, arranjador, e instrumentista com mais de 40 anos de carreira, o pantaneiro Geraldo Espíndola é um importante autor da Moderna Música Popular Brasileira (MPB).

 

A poesia de Geraldo retrata o olhar universal do homem pantaneiro, transformando a sua obra em um verdadeiro manifesto pró-natureza. Sua música do modo “geraldiano” de compor, mudou o rumo da música feita nestes confins do Brasil e fundou uma linha na MPB que até hoje não foi analisada devidamente. Geraldo prefere criar e se esquiva de uma auto-análise.

 

Sua carreira profissional na música começou aos 15 anos, em 1967, quando cantava e tocava violão e guitarra numa banda de nome insólito: Bizarros, Fetos e Pára-quedistas de Alfa Centauro, na qual tinha como companheiros Paulo Simões, James Dalpoggeto, Maurício Almeida, João Vaca-Louca e Mário Márcio. Foi também nessa época que Espíndola compôs sua primeira canção, “A Flor do Meu Jardim”.

 

Geraldo Espíndola tinha, paralelamente, uma carreira solo desde o início da sua carreira musical, o que não o impediu de participar de outras bandas, como Lodo, Luz Azul e Tetê & O Lírio Selvagem. As duas últimas com vários de seus irmãos: Alzira Espíndola, Celito Espindola e Tetê Espíndola. Tetê & O Lírio Selvagem, um grupo que teve projeção em todo o País, foi o responsável pela notoriedade nacional de sua irmã Tetê Espíndola. Geraldo era um dos principais compositores do repertório da banda.

 

Em 1978 compôs metade das composições do LP “Tetê e o Lírio Selvagem”, disco com o qual Geraldo ganhou apenas fama, e, a partir dele, seus sucessos como “Cunhataiporã”, “Vida Cigana” e “Rio de Luar” ganharam projeção nacional. Geraldo tem músicas gravadas por artistas de renome com Lecy Brandão, Almir Sater, Tetê, Raça Negra, entre outros intérpretes.

 

O 10º Festival América do Sul acontece entre os dias 1º e 5 de maio, na cidade de Corumbá e conta com patrocínio da Petrobras, governo federal, Banco do Brasil, Sebrae, Vale e Andorinha. É realizado pelo governo do Estado, em parceria com a Prefeitura de Corumbá e o Instituto Moinho Cultural Sul-Americano. (Assessoria do FAS)