Fundação assume uma cadeira no Comitê Gestor da Estrada Parque

A Prefeitura de Corumbá está representada na nova diretoria do Comitê Gestor da Estrada Parque. Na sexta-feira, a diretora-presidente da Fundação de Turismo do Pantanal de Corumbá, Hélènemarie Dias Fernandes, foi empossa na instituição, durante uma reunião de trabalho na região do Passo do Passo do Lontra.

 

O encontro contou com as presenças de dirigentes da Fundação de Meio Ambiente do Pantanal de Corumbá, da Fundação de Turismo do Mato Grosso do Sul, empresários, além de representantes da Embrapa Pantanal, Imasul, Organizações não Governamentais, da Prefeitura de Ladário, do Sindicato Rural e das comunidades ribeirinhas do Passo do Lontra e do Porto da Manga.

 

Além da posse dos novos membros, a reunião marcou também a eleição da mesa diretora, proposição para a criação de um Regimento Interno e a formação de Grupos de Trabalho. Também foi discutido o inquérito civil 52/09 referente às medidas a serem adotadas para a regularização das famílias situadas nas imediações do Passo do Lontra. 

 

O próximo encontro do Comitê Gestor está programado para o dia 24 de maio, quando será apresentado as gestores, uma prévia do regimento interno que está sendo elaborado pelos integrantes do Grupo de Trabalho formado para ser revisado, ajustado e aprovado.

 

Estrada Parque

 

A Estrada Parque Pantanal foi declarada Área de Especial Interesse Turístico pelo Governo do Estado do Mato Grosso do Sul, em março de 1993, por meio do Decreto-Estadual nº 7.122/93. Caracteriza-se como unidade de conservação, nos termos da lei nº 9.985/2000. Sua área total é de 6.800 ha nos municípios de Corumbá (5.719,93 ha) e Ladário (1.081,06 ha).

 

A antiga Rodovia da Integração (MS 228), hoje a Estrada Parque Pantanal, foi traçada pelo Marechal Cândido Rondon que, no final do século 19, trouxe a rede de telégrafo até Corumbá.

 

Originalmente conhecida como “Estrada Boiadeira” ou “Estrada da Manga”, ligava o interior da região de Corumbá com a capital do Estado, Campo Grande.

 

Foi construída sobre aterros, com alturas variando de 1 a 3 metros, numa tentativa de garantir as condições de tráfego em qualquer época do ano.

 

Como um dos principais produtos turísticos da região pantaneira, ao longo de seu percurso distribuem-se hotéis, pousadas, pesqueiros e restaurantes, dentre outros empreendimentos voltados para a pesca turística e turismo ambiental.