Festival presta homenagem ao poeta paraguaio Ruben Barreiro Saguier

Ruben Barreiro Saguier é um dos grandes homenageados no 10° Festival América do Sul (FAS) que acontece na cidade de Corumbá. Escritor, advogado, ensaísta e poeta, foi embaixador do Paraguai na França. Nasceu em Villeta, à beira do rio Paraguai, sendo o rio muito presente em suas obras literárias.

 

O renomado Ruben Barreiro Saguier formou-se em Literatura na Universidade Nacional de Assunção e também doutorado em Ciências Jurídicas e Sociais, obtido no Paul Valéry e Universidade de Montpellier, o mais alto grau acadêmico sistema universitário francês na área de Artes e Humanidades.

 

Embora especializado em poesia (um gênero que se desenvolveu com grande lirismo e, em princípio, permitiu-lhe criar um mundo onde a nostalgia predominante intuitiva e fantasmas familiares), este autor que ao longo de sua carreira obteve um monte de prêmios, também cultivou seu papel como romancista, ensaísta e crítico literário.

 

Entre 1972 e 1989, Ruben Bareiro Saguier foi exilado em Paris, onde não só ganhou a vida como um professor universitário de Literatura Americana e Língua Guarani, mas também fundou junto com Júlio César Troche, uma revista de arte e cultura lançada sob o nome “Alcor”. Mais tarde, após o fim da ditadura de Alfredo Stroessner, voltou para sua terra natal, mas entre 1995 e 2003, as suas tarefas diplomáticas como embaixador paraguaio iria levá-lo de volta para a capital francesa.

 

Desde Julho de 1994 representa o seu país como embaixador do Paraguai na França. Reconhecido crítico e ensaísta e um dos melhores escritores paraguaios conhecidos no exterior, Barreiro Saguier é co-fundador (com Júlio César Troche) da revista literária Alcor (1955). Em 1971 ele foi premiado com a prestigiada “Casa de las Américas” para sua coleção conto “Um olho por dente” (1973).

 

Na narrativa publicada após “Vento A sétima pétala” (1984), uma antologia de contos segundo, e seu trabalho inclui numerosos ensaios críticos, os seguintes estudos: “Literatura Guarani do Paraguai” (1980), “Augusto Roa Bastos “semanas autor (1986) e” Augusto Roa Bastos, quedas e ressurreições de um povo “(1989). 

 

Em sua poesia suas obras ficam “El rio, la vida” com fotos de Fernando Allen “A la Víbora de la Mar”, “Literatura Guaraní del Paraguay”, “El Séptimo Pétalo del Viento”, “Ojo por Diente”, entre outras. 

 

Festival

 

O 10º Festival América do Sul acontece entre os dias 1º e 5 de maio, na cidade de Corumbá e conta com patrocínio da Petrobras, governo federal, Banco do Brasil, Sebrae, Vale e Andorinha. É realizado pelo Governo do Estado, em parceria com a Prefeitura de Corumbá e o Instituto Moinho Cultural Sul-Americano. (Assessoria do FAS)